PI em Números

Compartilhe

A proteção da Propriedade Intelectual no ambiente acadêmico reforça a valorização do conhecimento gerado pelos professores/pesquisadores e favorece a interação das universidades com empresas.

No Brasil, os mecanismos que disciplinam a proteção da propriedade intelectual são o Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI, pela Lei de Propriedade Industrial (Lei nº 9.279/96) e de Proteção de Propriedade Intelectual de Programa de Computador (Lei nº 9.609/98). À Biblioteca Nacional compete a proteção por Direito Autoral (Lei nº 9.610/98) e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA, compete a Proteção de Cultivares (Lei nº 9.456/97).

Na UFCG, a proteção da PI reforçará a estratégia da Universidade na sua relação com a sociedade, nos termos de sua política institucional. Diversas atividades e ações vem sendo realizadas em articulação efetiva com os professores/pesquisadores e atendimento das demandas da Universidade no que se refere à proteção da propriedade intelectual, valoração e transferência de tecnologia bem como interações com outras instituições de ensino, centros de pesquisa e empresas. Conheça as tecnologias da UFCG.

Registros de PI acumulado:

 

Os números dos registros de PI´s durante 2018:

Os números dos registros de PI´s durante 2017:

Percentual dos Registros de Depósitos em 2017
Depósitos em 2017
ParâmetrosInformações
71Título:SISTEMA E PROCESSO DE RECUPERAÇÃO ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO DO ÓLEO DE CARVÃO (COED)
ResumoRefere o presente invento propiciar um sistema e processo de recuperação energética para o desenvolvimento energético do óleo de carvão (COED), a adição de um conjunto compressor/turbina na seção de separação do processo e modificação das condições de operação do processo. Um sistema e processo possibilita a recuperação da energia do sistema de até 60 %, com reutilização dessa energia no processo, melhorando a eficiente do processo. Dessa forma, juntamente com os ajustes operacionais de temperatura e pressão permite uma melhor eficiência do processo, a invenção contribuir para melhoria global de obtenção de combustíveis líquidos compostos por uma mistura de diversos hidrocarbonetos por meio da rota de pirólise do carvão em reatores de leito fluidizado.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ESLEY SILVA CAVALCANTE, GLADSON EULER LIMA JÚNIOR, STEFANO CIANNELLA, GILVAN WANDERLEY DE FARIAS NETO
Situação:Depositada - 23/12/2017
Número:BR 10 2017 028068 3
E-mail:esley.cavalcante@eq.ufcg.edu.br
70Título:SISTEMA MULTIMÍDIA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA E ACOMPANHAMENTO DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA PESSOAL
ResumoA presente invenção propicia um ambiente executado em dispositivos móveis, em que o usuário tem a possibilidade de registrar ganhos e despesas no horário selecionado correspondente a uma determinada hora do dia escolhido no calendário do sistema. O processo da presente invenção constitui-se em uma execução do sistema que realiza de forma local, isto é, na memória nativa do dispositivo móvel do usuário, registros de valor de crédito ou débito, bem como de saldo mensal. Mais especificamente, os dados são armazenados na forma chave-valor, associando uma data e horário a um conjunto de valores de crédito e/ou débito e a variação do montante fornecido como valor de saldo. A invenção tem potencial aplicabilidade na área de economia e educação financeira.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CAROLINE WANDERLEY SILVA, ISABEL LAUSANNE FONTGALLAND
Situação:Depositada - 23/12/2017
Número:BR 10 2017 028069 1
E-mail:lausannef@yahoo.fr
69Título:PROCESSO PARA PRODUÇÃO DE ETILENO E 1,3-BUTADIENO
ResumoA presente invenção propicia um processo eficiente e singular para a produção de etileno e 1,3-butadieno a partir da pirólise do ciclohexeno. O processo da presente invenção constitui-se em duas diferentes rotas de produção, em que a diferença preeminente entre elas é a maneira como o reator recebe energia para a realização da pirólise. A invenção tem potencial aplicabilidade na indústria petroquímica e seus derivados. A alta pureza de etileno e 1,3-butadieno produzidos, bem como a simplicidade da produção sob certas condições de operação, são características dominantes deste processo.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ALEXANDRE CÉSAR BALBINO BARBOSA FILHO, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada, 22/12/2017
Número:BR 10 2017 028057 8
E-mail:nilton@eq.ufcg.edu.br
68Título:SISTEMA E PROCESSO PARA CONVERSÃO DE BIOGÁS EM BIOMETANO
ResumoA presente invenção trata-se de um sistema e processo para conversão de biogás em biometano, que provê a concentração de biometano (CH4) e concentração de dióxido de carbono (CO2), permitindo um aumento na eficiência térmica e estrutural do processo. Além da obtenção de um outro produto, o dióxido de carbono concentrado, outra vantagem da presente invenção, diz respeito a modificação do uso da corrente de gás do vaso flash como corrente de reciclo, permitindo uma redução na dimensão da etapa de compressão e separação dos componentes do biogás, resultando em um aumento na eficiência energética do processo.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOSÉ NILTON SILVA, SIDINEI KLEBER DA SILVA, MÔNICA TEJO CAVALCANTI
Situação:Depositada - 22/12/2017
Número:BR 10 2017 028032 2
E-mail:nilton@eq.ufcg.edu.br
67Título:MEL DE ABELHAS NATIVAS BRASILEIRAS MICROENCAPSULADO E PROCESSO DE OBTENÇÃO
ResumoA presente invenção trata de um sistema microencapsulado contendo mel de abelhas nativas brasileiras (Meliponas) de diversas espécies com aplicação na área de alimentos e farmacêutica, visando proteger o mel de agentes ambientais (luz, umidade, oxigênio), aumentando estabilidade, vida de prateleira, mantendo a integridade de componentes importantes do mel como proteínas, sais minerais, vitaminas e fitoquímicos ativos, além de facilitar o manuseio e aplicação. Mais especificamente, o sistema microencapsulado contendo mel de abelhas nativas do presente invento pode ser utilizado como matéria-prima na área farmacêutica e alimentícia, além de assegurar qualidade para o principal produto da meliponicultura.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande e Universidade Federal da Paraiba
Inventores:MÔNICA TEJO CAVALCANTI, ANDRÉ LEANDRO DA SILVA, JOSÉ NILTON SILVA, MARTA SUELY MADRUGA, JOSÉ ROBSON DE LIMA MELO
Situação:Depositada - 21/12/2017
Número:BR 10 2017 027943 0
E-mail:monicatejoc@yahoo.com.br
66Título:CONSERVANTE NATURAL A BASE DE ÓLEO ESSENCIAL PARA CAMARÃO
ResumoA presente invenção trata-se de soluções conservantes a base de óleos essenciais, preferencialmente os oriundos de alho (Allium sativum) e cebola (Allium cepa), com aplicação na área de alimentos
perecíveis, visando sua utilização como conservantes naturais e
consequentes ampliadores da vida prateleira de camarões. Mais
especificamente, as soluções aquosas propostas na presente
invenção podem ser utilizadas como conservantes naturais por
apresentarem caráter inibitório satisfatório frente a cepas
patogênicas em alimentos perecíveis, com uso indicativo por
indústrias de alimentos, apresentando-se como uma alternativa
natural ao uso de conservantes químicos, por não deixar resíduos
tóxicos nos alimentos e promover aumento na vida de prateleira ao
produto adicionado.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande e Universidade Federal da Paraiba
Inventores:INÊS MARIA BARBOSA NUNES QUEIROGA, JOSÉ MARCELINO OLIVEIRA CAVALHEIRO, MÔNICA TEJO CAVALCANTI, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada - 22/12/2017
Número:BR 10 2017 027937 5
E-mail:monicatejoc@yahoo.com.br
65Título:SISTEMA DE MEDIÇÃO DE DESLOCAMENTOS VERTICAIS EM OBRAS GEOTÉCNICAS COM AUTOMAÇÃO E TRANSMISSÃO DE DADOS
ResumoA presente invenção trata de um sistema de medição automatizada e de baixo custo, para monitorar deslocamentos verticais em obras geotécnicas. As medidas são realizadas em tempos pré-estabelecidos. A invenção poderá ser acoplada a um dos métodos de monitoramento convencionais utilizadas para medição de recalques em profundidade. O invento será dotado de um sistema de medição composto por: sistema secundário (VII) (VII.a), sistema principal (VII) (VII.b), identificador de campo magnético (IV) e motor de passo (IX) acoplado à carretilha (VIII). O sistema secundário é o alarme responsável em acionar e hibernar o sistema principal, que tem como funções: controlar, tratar os dados e enviá-los após recebê-los do identificador do campo magnético. Os deslocamentos verticais serão medidos da seguinte forma: Ao iniciar a liberação do fio (III) através da carretilha (VIII), será contabilizada a quantidade de passos do motor de passo (IX) até o momento que é detectado o campo magnético e, cada detecção é enviada para um endereçamento, possibilitando assim identificar cada placa magnética (V) e monitorar o quanto ela deslocou ao longo do tempo.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RAQUEL FREITAS REIS, VERUSCHKA ESCARIÃO DESSOLES MONTEIRO, WILLIAM DE PAIVA, MÁRCIO CAMARGO DE MELO, RAIMUNDO CARLOS SILVÉRIO FREIRE, VANDERSON DE LIMA REIS, BRENO MOURA DE ARAÚJO NÓBREGA, CLÁUDIO LUIS DE ARAÚJO NETO, LIBÂNIA DA SILVA RIBEIRO
Situação:Depositada – 19/12/2017
Número:BR 10 2017 027475 6
E-mail:claudioluisneto@gmail.com
64Título:BISCOITO TIPO COOKIES ADICIONADOS DE KIWI ‘HAYWARD’ EM PÓ
ResumoÉ uma invenção que apresenta o processo de obtenção de biscoito tipo cookies adicionado de kiwi em pó, visando ampliar o aproveitamento industrial e tecnológico do kiwi em pó e a elaboração de um produto rico nutricionalmente.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:INACIA DOS SANTOS MOREIRA, WILTON PEREIRA DA SILVA, JOSIVANDA PALMEIRA GOMES, DEISE SOUZA DE CASTRO, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, JACINETE PEREIRA LIMA
Situação:Depositada – 14/12/2017
Número:BR 10 2017 026966 3
E-mail:inaciamoreira@ymail.com
63Título:MÉTODO DE PRODUÇÃO DE GEL ALOE VERA E INCORPORAÇÃO EM GEL DE POLIETILENOGLICOL PARA LUBRIFICANTE VAGINAL
ResumoA presente invenção trata de um método de produção de um gel Aloe Vera e da sua incorporação em gel de polietilenoglicol grau médico para aplicação em lubrificante vaginal. A lubrificação vaginal é um fenômeno fisiológico estrogênio-dependente, quando os níveis de estrogênio diminuem ocorre um problema denominado hipoestrogenismo, ocasionando a redução da lubrificação vaginal. Os lubrificantes vaginais são eficazes no alívio da dor e desconforto durante a relação sexual. O polímero mais utilizado nos lubrificantes vaginais é o polietilenoglicol, entretanto outros polímeros ou a adição de novos componentes podem melhorar as propriedades físico- químicas e biológicas. Aloe Vera é conhecida popularmente como babosa, é uma planta da família Xanthorrhoeaceae encontrada em regiões tropicais, utilizada em diversas partes do mundo para fins medicinais e cosméticos. Devido às propriedades umidificante, lubrificante, biodegradabilidade, biofuncionalidade e biocompatibilidade que dentre outras atividades biológicas favorece a hidratação, nutrição e proteção fisiológica da pele, razão pela qual é estudada para aplicação em produtos tópicos dermatológicos e fitoterápicos principalmente na forma de gel, sendo um componente de grande valor que pode ser incorporado aos lubrificantes novas propriedades físico-químicas e biológicas.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RENATA DE MEDEIROS WANDERLEY GADELHA, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA, ANDRÉ GONÇALVES BEZERRA JUNIOR, DARLYSON TAVARES GUIMARÃES, MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO
Situação:Depositada – 12/12/2017
Número:BR 10 2017 026764 4
E-mail:wladymyrjb@yahoo.com.br
62Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE BRIGADEIRO FUNCIONAL DE BATATA DOCE (Ipomoea batatas) ADICIONADO DE Spirulina platensis
ResumoO produto em questão refere-se à elaboração de “brigadeiro funcional de batata doce (Ipomoea batatas) adicionado de Spirulina platensis”, estas matérias- primas atuam conferindo o enriquecimento do produto com nutrientes considerados indispensáveis, os quais não são encontrados nas formulações convencionais, além de associá-los as funções terapêuticas. A referida invenção dispõe também da utilização do leite bovino, o qual é altamente nutritivo, e possui substituição total do leite condensado pelo supracitado, além de conter a adição de Spirulina platensis, esta, ainda pouco explorada na culinária brasileira. Ademais, possui características sensoriais similares aos produtos já comercializados, como por exemplo, sabor, cor, textura, aparência e aroma. A redução da quantidade de açúcar utilizada na preparação, a utilização de batata doce como base da formulação, a adição de Spirulina e leite bovino, além da ausência de corantes, conservantes e aromatizantes se tornam um diferencial na sua formulação. Atendendo a necessidade de consumidores que buscam cada vez mais por alimentos naturais, saborosos e nutritivos. Vale enfatizar, que a metodologia de preparo pode ser facilmente executada, além de apresentar baixo custo, sendo uma opção de sobremesa que atenda os consumidores de forma geral, bem como aqueles que possuam necessidades específicas. A invenção ainda pode ser destacada no processo de conservação de alimentos, o qual se dá pela presença da Spirulina e suas funções antifúngicas e antibacteriana. Diante de todos os benefícios supracitados, ainda importa ressaltar que a utilização da Spirulina e da batata doce contribui de forma significativa tanto para a saúde do consumidor, quanto para expansão do agronegócio, gerando emprego e renda.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MAYARA GABRIELLY GERMANO DE ARAÚJO, RAFAELA JULIANE SILVA SANTOS, CAROLINA DA SILVA PONCIANO, MICHELLY PIRES QUEIROZ, ALINE RODRIGUES NERIS, NOELY RAYANE SANTOS SOUZA, JÉSSICA LIMA DE MORAIS, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, VANESSA BORDIN VIERA
Situação:Depositada – 12/12/2017
Número:BR 10 2017 026759 8
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
61Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE PÃO DE FORMA ADICIONADO DA FARINHA DA CASCA E DO CAROÇO DO UMBU (Spondias tuberosa Arruda Câmara)
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração de um pão de forma adicionado da farinha da casca e do caroço do umbu, in natura, da espécie exótica Spondias tuberosa Arruda Câmara encontrada no nordeste brasileiro e cultivada sem o uso de agrotóxicos e pesticidas. O diferencial dessa invenção está baseado na elaboração de um produto inédito, sem adição de conservantes e aromatizantes, sem lactose e com bom teor de ácidos graxos, vitamina C e compostos antioxidantes no intuito de atender o mercado consumidor que busca uma alimentação saudável baseada em produtos naturais. O método utilizado para a elaboração e processamento da invenção é de baixo custo, de fácil execução e rentável, além disso, a invenção tem por finalidade diminuir a insegurança alimentar, agregar valor ao fruto, combater o desperdício, propor uma alternativa para o reaproveitamento do fruto e geração de renda para os pequenos e médios produtores.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:EDNA CARLA ARAÚJO SILVA, MARTA MARIA DA CONCEIÇÃO, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA CARLA CÂNDIDO DA SILVA, RITA DE CÁSSIA RAMOS DO EGYPTO QUEIROGA, ANA CAROLINA DOS SANTOS
Situação:Depositada – 11/12/2017
Número:BR 10 2017 026726 1
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
60Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE FARINHA DA CASCA E DO CAROÇO DE UMBU (Spondias tuberosa Arruda Câmara)
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração e processamento de uma farinha obtida da mistura da casca e do caroço do fruto umbu, no estádio maduro, da espécie exótica Spondias Tuberosa Arruda Câmara, encontrada na região nordeste do Brasil. O diferencial dessa invenção está baseado na fabricação de um produto inédito, natural, de sabor agradável, sem adição de conservantes e aromatizantes, com bom teor de compostos antioxidantes, vitamina C, ácidos graxos linoléico e oléico, a fim de atender os consumidores que buscam uma alimentação saudável. A metodologia desenvolvida na elaboração da invenção é simples e de baixo custo, facilmente produzida por indústrias, cooperativas, pequenas empresas e etc., sendo utilizada facilmente pela indústria de panificação com intuito de enriquecer novas formulações. Além disso, a invenção possuir uma opção para o reaproveitamento do fruto, diminuição da insegurança alimentar, evitar o desperdício, agregar valor ao fruto e promover geração de renda a aqueles que sobrevivem da cultura do umbu.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:EDNA CARLA ARAÚJO SILVA, MARTA MARIA DA CONCEIÇÃO, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA CARLA CÂNDIDO DA SILVA, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, VANESSA BORDIN VIERA, RITA DE CÁSSIA RAMOS DO EGYPTO QUEIROGA
Situação:Depositada – 11/12/2017
Número:BR 10 2017 026708 3
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
59Título:Pasta de Amendoim enriquecida com Spirulina Platensis e chocolate 70% Cacau
ResumoO produto em questão apresenta inúmeras características funcionais e transforma a simples pastas de amendoim, numa pasta especial, com alto teor proteico. O diferencial está no fato do alto teor proteico ser extraído da Spirulina Platensis, que forma a composição em conjunto com o amendoim e o chocolate 70 cacau, tornando o produto também fonte de ácidos graxos essenciais, vitamina do complexo B, ferro, entre outros nutrientes. Além de possuir uma simples metodologia de preparo. Assim, em razão da escassez de produtos enriquecidos com Spirulina Platensis e, tendo ainda em vista a inexistência da pasta com propriedades já citadas mercado, considera-se a invenção de grande relevância.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RENATA TORRES MACIEL, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, NILCIMELLY RODRIGUES DONATO
Situação:Depositada – 11/12/2017
Número:BR 10 2017 026712 1
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
58Título:GELEIA EXTRA DE GOIABA (Psidium guajava) ADICIONADA DE PIMENTA ROSA (Schinus terbinthifolius raddi)
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração de “geleia extra de goiaba (Psidium guajava) adicionada de pimenta rosa (Schinus terbinthifolius raddi)”, produzida a partir de frutos frescos de goiaba e pimenta rosa. O produto em questão apresenta sabor e odor característicos, além de possuir características nutricionais ressaltadas e conter ingredientes com elevada atividade funcional, vale ressaltar que as características organolépticas são similares aos produtos já comercializados, como por exemplo, sabor, aparência e textura. Esta invenção destaca-se pela não utilização de produtos industrializados, corantes, conservantes, aromatizantes e aditivos químicos. É válido enfatizar que a metodologia de preparo pode ser facilmente executada, além de apresentar baixo custo, esta invenção ainda se destaca pela atividade bacteriostática, anti-séptica, antifúngica, anti-bacteriana e grande concentração de compostos fenólicos antioxidantes, conferidas pela presença da especiaria. A invenção ainda pode ser incorporada em diferentes tipos de preparações na área de tecnologia de alimentos, com destaque para o processo de conservação de frutas e garantia da segurança alimentar. Diante de todos os benefícios supracitados, ainda pode-se enfatizar que a utilização da goiaba e pimenta rosa contribui de forma significativa tanto para a saúde do consumidor, quanto para expansão do agronegócio, gerando emprego e renda.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:EDSON DOUGLAS SILVA PONTES, MAYARA GABRIELLY GERMANO DE ARAÚJO, HANDERSON LUCAS DUARTE DE SALES, MICHELLY PIRES QUEIROZ, JAIELISON YANDRO PEREIRA DA SILVA, VANESSA BORDIN VIERA, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, JÉSSICA LIMA DE MORAIS, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES,
Situação:Depositada – 11/12/2017
Número:BR 10 2017 026705 9
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
57Título:Processamento e obtenção de membrana de poli(-éter-éter-cetona) sulfonado (SPEEK) para utilização em biomateriais
ResumoA presente invenção propicia o processamento e obtenção de membrana de poli(-éter-éter-cetona) sulfonado para utilização em biomateriais. O processo da presente invenção constitui-se na obtenção de membrana de SPEEK a partir da modificação química do poli(-éter-éter-cetona) com ácido sulfúrico. Mais especificamente, a modificação química consiste na substituição eletrolítica aromática com a adição do grupo sulfônico, seguido por tratamento térmico e desidratação por sublimação a vácuo. A invenção tem potencial aplicabilidade por se tratar de membrana ou biofilme de PEEK sulfonado em biomateriais nas mais diversas aplicações devido a sua facilidade de moldagem e conformação, tais como: enxerto ósseo, membranas para proteção de próteses (quadril, coluna), carga para transporte de fármacos e químicos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:CRISTIANE AGRA PIMENTEL, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, JOSÉ WILLIAM DE LIMA SOUZA, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, DANIEL BEZERRA DE LIMA, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA
Situação:Depositada – 11/12/2017
Número:BR 10 2017 026626 5
E-mail:pimenca@hotmail.com
56Título:MÉTODO DE RETICULAÇÃO DO COLÁGENO CORNEANO COM GENIPINA PARA APLICAÇÃO NO TRATAMENTO DE CERATOCONE
ResumoA presente invenção trata de uma metodologia de reticulação da córnea com genipina para tratamento de ceratocone sem a necessidade de desepitelização da córnea. O ceratocone trata-se de um afinamento corneano central ou paracentral, progressivo, que faz com que a córnea apresente um abaulamento anterior, em forma de cone podendo levar a uma perda da acuidade visual, astigmatismo irregular e opacidade. Estudos têm demonstrado que a indução da reticulação da córnea através do uso de radiação ultravioleta A (UVA) associada à riboflavina promove um aumento da rigidez da córnea estabilizando a doença (Cannon e Foster, 1978; Wollensak et al., 2003a). A reticulação da córnea é utilizada para inibir progressão da doença em pacientes portadores do ceratocone. Tal tratamento apresenta um protocolo padrão, no entanto, necessita-se de remover o epitélio, o que estimula desenvolver novas metodologias que otimizem a reticulação sem remover o epitélio, diminuindo o tempo de cirurgia e recuperação do paciente. A geninipa por ser uma substância natural com baixa citotoxicidade, tem sido investigada como reticulante a ser usado em aplicações biológicas. Neste contexto, o desenvolvimento desta patente compreende uma série de estudos que tratam de uma metodologia de reticulação da córnea com genipina para tratamento do ceratocone.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:CAMILA MELO GADELHA PEREIRA DINIZ, JOSUÉ DA SILVA BURITI, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA, MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO
Situação:Depositada – 06/12/2017
Número:BR 10 2017 026328 2
E-mail:josueburiti@gmail.com
55Título:MÉTODO DE REESTERILIZAÇÃO E REDIMENCIONAMENTO DE TELAS DE POLIPROPILENO APLICADA EM TRATAMENTO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE ESFORÇO
ResumoEsta invenção trata de um método de reesterilização e redimensionamento de telas de polipropileno aplicada no tratamento da Incontinência Urinária de Esforço (IUE). A Incontinência Urinária (IU) é definida pela International Continence Society (ICS) como uma doença na qual há eliminação involuntária de urina constituindo um problema social e higiênico afetando diretamente a qualidade de vida da mulher. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia mostra que cerca de 50% das mulheres podem ser afetadas em alguma fase da vida, sendo que 35% delas já relatam perda urinária. Diversos tratamentos são empregados, no entanto, a opção cirúrgica da IU ainda é o principal tratamento para esta afecção e muito utilizada em casos de insucesso das condutas conservadoras. Os slings de uretra média se tornaram atualmente o tratamento cirúrgico mais empregado na maioria dos casos de IUE. Sendo produzido de polipropileno, devido suas propriedades como ser quimicamente e fisicamente inerte, não carcinogênico, mecanicamente forte, não causar reações inflamatórias ou alérgicas, ser esterilizável, modificada pelo tecido vivo e ter formato para uso clínico. No entanto, devido suas dimensões é possível otimizá-las e reesterilizá- las, de forma a aumentar o número de pacientes que possa utilizar e diminuir o custo final da cirurgia.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MARCELO PAULO TISSIANI, JOSUÉ DA SILVA BURITI, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA, MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO
Situação:Depositada – 06/12/2017
Número:BR 10 2017 026346 0
E-mail:josueburiti@gmail.com
54Título:SISTEMA DE TRANSPORTE NEONATAL PARA RECÉM-NASCIDO DE RISCO HABITUAL - BABYBAG
ResumoA presente invenção trata da produção de sistema de transporte neonatal para recém-nascido de risco habitual definido como babybag, de forma a garantir a segurança no transporte de recém- nascido aos alojamentos conjuntos. O Ministério da Saúde publicou novas diretrizes para organização da atenção integrada e humanização do recém-nascido, por orientações seguidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), entretanto, não existem no Brasil protocolos relacionados ao transporte do recém-nascido de risco habitual. O número de recém-nascido transportados aos alojamentos conjuntos sem equipamentos necessários, materiais ou estratégias para garantir sua segurança segue aumentando, levando em consideração que o Brasil atingiu o recorde mundial em cesarianas e na ausência de políticas públicas. Estudos evidenciam a importância que o primeiro contato materno-infantil possui, comprovando a existência de benefícios fisiológicos e psicossociais tanto em curto quanto em longo prazo. O contato pele-a-pele é considerado uma medida não farmacológica de redução à dor do recém-nascido, já foi comprovado que a produção do cortisol diminui tanto na mãe quanto no recém-nascido.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JACKELINE NASCIMENTO APOLORI TISSIANI, JOSUÉ DA SILVA BURITI, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA, MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO
Situação:Depositada – 06/12/2017
Número:BR 10 2017 026322 3
E-mail:josueburiti@gmail.com
53Título:SISTEMA MULTIMÍDIA PARA GERAÇÃO DE ANÁLISE DE DÍVIDAS A PARTIR DO CÁLCULO DO MONTANTE RESULTANTE DA APLICAÇÃO DE JUROS SIMPLES E COMPOSTO
ResumoA presente invenção propicia um ambiente em que o usuário tem a possibilidade de obter, a partir de um sistema composto por um computador, tablet, smartphone, notebook ou ultrabook acessando a partir da rede o programa no browser, uma análise elucidativa do comportamento do valor de uma dívida ao realizar pagamento à vista ou parcelado com taxa de juros aplicada. O processo da presente invenção constitui-se no acesso através da rede ao sistema que, através de periféricos do dispositivo inteligente, recebe dados fornecidos pelo usuário e retorna na interface gráfica o resultado obtido correspondente a tais dados. Mais especificamente, os dados são capturados por formulário na interface de interação com usuário e submetidos a algoritmo. A invenção tem potencial aplicabilidade na área de economia e educação financeira.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CAROLINE WANDERLEY SILVA, ISABEL LAUSANNE FONTGALLAND
Situação:Depositada – 21/11/2017
Número:BR 10 2017 024944 1
E-mail:carolacws@gmail.com
52Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE BROWNIE FUNCIONALDE FARINHA DE LINHAÇA E DE GIRASSOL
ResumoA presente invenção refere-se ao “Processo de elaboração de brownie de farinha de linhaça e de girassol”. O produto em questão possui alto valor nutricional devido a adição da farinha de linhaça e de girassol, ingredientes estes ricos em fibras, vitamina E, além de ácidos graxos essenciais que auxiliam na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis tornando-o um alimento funcional. Outro aspecto relevante é a isenção total de farinha de trigo na elaboração do brownie, podendo este ser considerando isento de glúten e portanto ser consumido por portadores da doença celíaca. Também é importante ressaltar a metodologia de preparo que é simples e de baixo custo, uma vez que são utilizados ingredientes e equipamentos facilmente encontrados. Diante de todos os benefícios citados, ainda pode-se ressaltar que a utilização da farinha de girassol e de linhaça, em preparações de produtos de confeitaria e panificação, como o brownie, possibilita o consumo destes ingredientes de forma variada.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MARIA CARLA CÂNDIDO DA SILVA, IVANIA SAMARA DOS SANTOS SILVA, MARIA TEREZA LUCENA PEREIRA, RAIRA DA SILVA CAMPOS, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, EDNA CARLA ARAÚJO SILVA, VANESSA BORDIN VIERA, CAMILA CAROLINA DE MENEZES SANTOS BERTOZZO, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA
Situação:Depositada – 13/11/2017
Número:BR 10 2017 024319 2
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
51Título:COOKIE FUNCIONAL ADICONADO DE RESÍDUO DE BARU (Dipteryx alata) E FARINHA DE AMENDOIM (Arachis hypogaea)
ResumoA presente invenção refere-se a “Cookie funcional adicionado de resíduo de Baru (Dipteryx alata) e farinha de Amendoim (Arachis hypogaea)”. O produto em questão possui alto valor nutricional e outras características sensoriais atribuídas principalmente pela adição do baru e do amendoim, como melhor aroma, palatabilidade e sabor. Outro aspecto relevante em relação à elaboração do produto é o fortalecimento do aproveitamento tecnológico do resíduo da farinha do baru e do soro de leite caprino, tão rico nutricionalmente, porém ainda pouco explorado. Ressalta-se que para a execução da metodologia de preparo é necessário pequeno investimento e utilização de ingredientes acessíveis. Diante de todos os benefícios supracitados, importa ainda ressaltar que a utilização do soro de leite caprino, o baru e o amendoim contribui de forma significativa tanto para a saúde do consumidor, quanto para expansão do agronegócio, gerando emprego e renda.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:LAURA BEATRIZ DOS SANTOS DOMINGOS, FERNANDA AUGUSTA DE ANDRADE MEDEIROS, MARIA JULIETE DA SILVA OLIVEIRA, ANA CAROLINA DOS SANTOS COSTA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, RITA DE CÁSSIA DE ARAÚJO BIDÔ, MACIEL DA COSTA ALVES, DIEGO ELIAS PEREIRA, JOANY DE MEDEIROS ARAÚJO, CAMILA CAROLINA DE MENEZES PATRÍCIO SANTOS, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS
Situação:Depositada – 13/11/2017
Número:BR 10 2017 024295 1
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
50Título:METODOLOGIA DE REVESTIMENTO DE FIOS DE POLIDIOXANONA COM QUITOSANA
ResumoA presente invenção trata de uma metodologia de revestimento de fios de polidioxanona com quitosana, sendo constituído por uma matriz polimérica de quitosana grau médico, biocompatível e biodegradável, aplicado sobre a superfície do fio de polidioxanona, com a finalidade primária de agregar propriedades antibactericidas, fungicida e anti-inflamatória, de modo a favorecer a cicatrização da cúpula vaginal após cirurgias ginecológicas de histerectomia. A histerectomia é uma das cirurgias ginecológicas mais utilizadas em paises desenvolvidos por diversas afecções, podendo ser benignas ou malignas. Para o fechamento da cúpula vaginal após a retirada do útero, é necessário o fio de sutura ideal para acelerar a cicatrização e promover maior conforto á paciente. Existem vários fios de suturas no comércio e dentre eles o de polidioxanona, que é um biopolimero absorvível e biocompatível, quando farpado auxilia cirurgiões no fechamento do tecido, sem a necessidade de nós, diminuindo o tempo cirúrgico, as perdas sanguíneas e tempo de internamento hospitalar. A quitosana é um biopolímero, com relevantes propriedades estruturais como a biodisponibilidade, biocompatibilidade aos tecidos e biodegradabilidade. As aplicações da quitosana na área médica estão relacionadas essencialmente às suas propriedades de biocompatibilidade, capacidade bactericida e ao fato de não provocar reações adversas quando em contato com células humanas. Os fios de polidioxanona quando revestidos por quitosana agregam propriendades antibactericida, fungicida e aintiinflamatória, favorecendo a cicatrização da cúpula vaginal após histerectomia.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:CLARISSA QUEIROZ BEZERRA DE ARAÚJO FERNANDES; ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA; MARCUS VINICIUS LIA FOOK; WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA; MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO; ANDRÉ GONÇALVES BEZERRA JUNIOR; RODOLFO HENRIQUE NOGUEIRA TORRES
Situação:Depositada – 06/11/2017
Número:BR 10 2017 023779 6
E-mail:clarissa.queiroz@hotmail.com
49Título:DISPOSITIVO TUBULAR DE QUITOSANA PARA USO COMO PRÓTESE TRAQUEOBRÔNQUICA
ResumoA presente invenção trata da fabricação de prótese traqueobrônquica de quitosana para uso nas doenças estenóticas da traqueia, sendo constituído por uma matriz polimérica de quitosana grau médico, biocompatível e biodegradável, aplicado nas intervenções de vias aéreas, com a finalidade primária proporcionar a desobstrução e manutenção da perviedade desta via aérea, reduzindo respostas imunológicas e evitando a necessidade de futuras intervenções para retirada do mesmo. A intubação endotraqueal (IOT) é uma das intervenções de vias aéreas mais executadas, tanto nas unidades de emergência como nos centros de terapia intensiva e nas salas de cirurgia e, como qualquer intervenção médica, está sujeita a uma série de complicações e intercorrências que podem, algumas vezes, evoluir para eventos de grande gravidade, que nessas circunstâncias específicas podem culminar com um alto índice de morbidade e mortalidade do paciente. O tubo endotraqueal ou conhecido pelos profissionais de saúde de TOT pode também promover complicações decorrentes do seu diâmetro e da pressão excessiva colocada em seu “cuff” (balonete), o que pode culminar em sequelas irreversíveis. Diante disso, alguns estudos têm mostrado benefícios significativos quando se opta pela realização da traqueostomia precocemente, melhorando os resultados clínicos, reduzindo a duração da ventilação mecânica (VM) e o número de reinternações, com consequente redução da incidência de complicações. Neste campo de estudo os esforços estão sendo direcionados para o desenvolvimento de próteses biocompatíveis que favoreçam a redução das respostas imunológicas, como também o desenvolvimento de próteses biodegradáveis com finalidade de não necessitar de futuras intervenções para um possível reposicionamento ou retirada do mesmo. A quitosana é um biomaterial aplicado em lentes de contato, membranas artificiais, cicatrizante, agente hemostático, tratamento de lesões de pele, bactericida, fungicida, devido suas propriedades químicas efísicas, apresenta potencial para ser utilizado como prótese traqueobrônquica.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:BRENO DE MEDEIROS LUCENA;ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA; MARCUS VINICIUS LIA FOOK, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA; MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO; THIAGO CAJÚ PEDROSA; ANDRÉ GONÇALVES BEZERRA JUNIOR
Situação:Depositada – 06/11/2017
Número:BR 10 2017 023777 0
E-mail:brenolucena.bl@gmail.com
48Título:MÉTODO DE PRODUÇÃO DE TINTA CONDUTORA DE PRATA
ResumoA presente invenção trata de um método de produção de uma tinta de condutora de prata obtendo as partículas de prata por eletrodeposição, formulação do revestimento de necessários para preparação da tinta condutora. As tintas são dispersões de pigmentos em aglomerantes (resinas), de composição líquida, geralmente viscosa que quando aplicada em película fina, passa por um processo de secagem ou cura e se transforma em um filme sólido, aderente, impermeável e flexível. As tintas condutivas são constituídas geralmente revestimento orgânico como um pó de partículas condutoras de eletricidade. As tintas condutoras que são disponíveis comercialmente foram originalmente desenvolvidas para a confecção de eletrodos, sensores, circuitos impressos entre outros dispositivos, o preço e as dificuldades no processo de importação dessas tintas dificultam sua ampla utilização. A prata é um metal sólido a temperatura ambiente de cor prateada, brilhante, maleável, dúctil e apresenta ótima condutividade elétrica. Aplicação de compostos de prata na medicina ocorre no revestimento de cateteres, válvulas cardíacas e outros dispositivos médicos, isso devido suas propriedades. Diversas são as vantagens da utilização da tinta condutora de prata em dispositivos médicos e biossensores que decorre da facilidade de aplicação bastando desenha-los independente da complexidade, redução de volume, impregnação em diferentes superfícies tais como: papel, madeira, plástico e até sobre alguns tipos de tecido.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MARIA CLÉLIA JACOME FRANCA CAMPOS; JOSÉ FILIPE BACALHAU RODRIGUES; MARCUS VINICIUS LIA FOOK; JOSÉ ALBERTO CAMPOS DA SILVA JÚNIOR; KLAIDSON ANTÔNIO SOUSA FARIAS; KLEILTON OLIVEIRA SANTOS; MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO
Situação:Depositada – 06/11/2017
Número:BR 10 2017 023773 7
E-mail:mariacleliacampos@gmail.com
47Título:ELABORAÇÃO DE EMBUTIDO DEFUMADO TIPO MORTADELA DE CARNE MECANICAMENTE SEPARADA - CMS DE PEIXE DE ÁGUA DOCE, COM REDUÇÃO DO TEOR DE GORDURA, SÓDIO E ADITIVOS
ResumoO consumo da Tilápia do Nilo em forma de filé tem sido uma excelente medida para incentivar o seu uso. Porém, no processo da filetagem, são gerados uma grande quantidade de subprodutos, representando cerca de 65 a 70% do total, dos quais cerca de 50% é composto de matéria-prima de excelente valor nutricional, historicamente subutilizada, que podem ser aproveitadas para a elaboração de Carne Mecanicamente Separada (CMS), e, por conseguinte, de diversos produtos processados. Dentro desta perspectiva, a presente invenção destaca-se como pontos positivos a utilização de carne de pescado, oriunda dos resíduos da filetagem de tilápia, trazendo como vantagens proteínas de alto valor biológico, boa quantidade de vitaminas hidrossolúveis e lipossolúveis, uma melhor relação de ácidos graxos monossaturados, poliinsaturados e saturados, redução de 83% da utilização de gordura de animais terrestres e de aproximadamente 69% da adição de sal e aditivos, além da possibilidade do aumento do consumo de carne de pescado, e incrementar os arranjos da agricultura familiar, por meio da transferência de tecnologia, visto que atualmente os resíduos da filetagem são ou subutilizados ou descartados no meio ambiente. Vale ressaltar também, que o método de preparo é de fácil execução, baixo custo, e o produto mantem as características esperadas para um embutido, com boa aceitação sensorial e vida de prateleira prolongada, após longo período de armazenamento sob refrigeração, sendo uma alternativa em potencial para os pequenos agricultores na geração de renda, expansão do agronegócio e valorização dos ingredientes locais e regionais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:HELOÍSA MARIA ÂNGELO JERÔNIMO, TÂNIA LÚCIA MONTENEGRO STAMFORD, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, ARYANE RIBEIRO DA SILVA, RICÁCIA DE SOUSA SILVA, ANTÔNIO ROSENDO DA COSTA, CARLOS EDUARDO VASCONCELOS DE OLIVEIRA
Situação:Depositada – 01/11/2017
Número:BR 10 2017 023676 5
E-mail:helogero@yahoo.com.br
46Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE TRUFA FUNCIONAL DE BATATA DOCE OBTIDA A PARTIR DE LEITE CAPRINO, PIMENTA ROSA (Schinus terbinthifolius raddi) E SEMENTE DE CHIA (Salvia hispanica)
ResumoO produto em questão refere-se à elaboração de “trufa funcional de batata doce obtida a partir de leite caprino, pimenta rosa e semente de chia”, estas matériasprimas atuam conferindo o enriquecimento do produto com nutrientes considerados indispensáveis, os quais não são encontrados nas formulações convencionais, além de associá-los as funções terapêuticas. A referida invenção dispõe também da utilização do leite de cabra, o qual é altamente nutritivo, e possui substituição total do leite condensado pelo leite caprino, além de conter a adição de pimenta rosa, esta, ainda pouco explorada na culinária brasileira, e semente de chia, finalizando o alto potencial nutritivo e funcional do produto. Ademais, possui características sensoriais similares aos produtos já comercializados, como por exemplo, sabor, cor, textura, aparência e aroma. A redução da quantidade de açúcar utilizado na preparação e substituição por açúcar demerara, a utilização de batata doce como base da formulação, a adição de semente de chia, leite caprino, e especiarias como pimenta rosa, além da ausência de corantes, conservantes e aromatizantes se tornam um diferencial na sua formulação. Atendendo a necessidade de consumidores que buscam cada vez mais por alimentos naturais, saborosos e nutritivos. Vale enfatizar, que a metodologia de preparo pode ser facilmente efetuada, além de apresentar baixo custo, sendo uma opção de sobremesa que atenda os consumidores de forma geral, bem como aqueles que possuam necessidades específicas. A invenção ainda pode ser destacada no processo de conservação de alimentos, o qual se dá pela presença da pimenta rosa e suas funções bacteriostática, anti-sépticas, antifúngicas e anti-bacteriana.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MAYARA GABRIELLY GERMANO DE ARAÚJO, EDSON DOUGLAS SILVA PONTES, RAFAELA JULIANE SILVA SANTOS, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, VANESSA BORDIN VIERA, NATIÉLI PIOVESAN, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES,
Situação:Depositada – 01/11/2017
Número:BR 10 2017 023590 4
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
45Título:KIWI ‘HAYWARD’ EM PÓ
ResumoÉ uma invenção que apresenta a obtenção de kiwi em pó, após o processo de secagem de fatias contendo 5 mm de espessura à 70ºC, visando seu aproveitamento industrial.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:INACIA DOS SANTOS MOREIRA, WILTON PEREIRA DA SILVA, JOSIVANDA PALMEIRA GOMES, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, DEISE SOUZA DE CASTRO, FRANCINALVA CORDEIRO DE SOUSA, JACINETE PEREIRA LIMA
Situação:Depositada – 26/10/2017
Número:BR 10 2017 023083 0
E-mail:inaciamoreira@ymail.com
44Título:PROCESSO DE PRODUÇÃO DA PENEIRA MOLECULAR SBA-15 A PARTIR DA RECICLAGEM DE MATÉRIAS-PRIMAS DE BAIXO CUSTO
ResumoA presente invenção propicia um processo de produção de sílica e produção da peneira molecular SBA-15, um silicato mesoporoso amplamente utilizado em processos de craqueamento e refino de petróleo, síntese de biodiesel e síntese de combustíveis líquidos a partir da síntese de Fischer-Tropsch. É descrita na presente invenção uma metodologia de síntese para a SBA-15 a partir de uma rota que reduz seu custo de produção, substituindo as fontes de sílica convencionais por três fontes de sílicas alternativas (argila chocolate, cinzas de cascas de arroz e cinzas de bagaço de canade- açúcar) que possuem baixo valor econômico e elevado valor ecológico por se tratar da reciclagem de resíduos industriais e agroindustriais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GUSTAVO MEDEIROS DE PAULA, MEIRY GLÁUCIA FREIRE RODRIGUES
Situação:Depositada – 24/10/2017
Número:BR 10 2017 022940 8
E-mail:gustavo.paula@eq.ufcg.edu.br
43Título:AMIDO NATIVO DO ENDOCARPO DA PITOMBA
ResumoÉ uma invenção que apresenta o processo de extração do amido nativo do endocarpo da pitomba, visando aproveitamento tecnológico e industrial da espécie.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:DEISE SOUZA DE CASTRO, WILTON PEREIRA DA SILVA, JOSIVANDA PALMEIRA GOMES, INÁCIA DOS SANTOS MOREIRA, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, JACINETE PEREIRA LIMA
Situação:Depositada – 23/10/2017
Número:BR 10 2017 022741 3
E-mail:deise_castro01@hotmail.com
42Título:LEITE FERMENTADO “TIPO IOGURTE” CAPRINO SABOR GOIABA COM POTENCIAL PROBIÓTICO
ResumoA presente invenção refere-se a um leite fermentado tipo iogurte caprino com sabor de goiaba e potencial probiótico por se utilizar de cepas de Lactobacillus bulgaricus, Streptococcus termophilus como iniciadoras (Stater), Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium lactis ou Lactobacillus casei subsp. Paracasei como co-culturas. O iogurte caprino com potencial probiótico apresenta características como alto valor nutritivo, textura uniforme e excelente sabor, o que lhe confere uma ótima aceitação. Contém probióticos que contribuem para a saúde do sistema digestivo e a goiaba que melhora o sabor e aroma do produto, trazendo melhor aceitabilidade ao produto, além de melhorar características tecnológicas, como a viscosidade, inibindo o uso de estabilizantes. A metodologia de preparo pode ser executada facilmente, apresenta um baixo custo de produção e possui um alto rendimento em relação a outros derivados lácteos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MAYRA DA SILVA CAVALCANTI, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, RITA DE CÁSSIA RAMOS DO EGYPTO QUEIROGA, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS
Situação:Depositada – 23/10/2017
Número:BR 10 2017 022738 3
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
41Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE BOLO DE BANANA INTEGRAL ISENTO DE GLÚTEN ELABORADO COM LEITE CAPRINO E FARINHA DE AVEIA
ResumoO produto em questão refere-se à elaboração de “bolo de banana integral elaborado com leite caprino e farinha de aveia”, produzido a partir da fruta fresca em estádio de maturação ideal, utilizando a fruta integralmente, aproveitando assim todos os seus nutrientes disponíveis além de evitar desperdícios. A referida invenção dispõe também da utilização de leite de cabra que é altamente nutritivo, e possui substituição de farinhas que contenham glúten por farinha de aveia, finalizando o alto potencial nutritivo e funcional do produto. Possui características sensoriais similares aos produtos já comercializados, como por exemplo, sabor, cor e aroma. A redução da quantidade de açúcar utilizado na preparação e substituição por açúcar demerara, a adição de especiarias como canela e outro fruto como uvas-passas em sua preparação, além da ausência de corantes, conservantes e aromatizantes se tornam um diferencial na sua formulação. Atendendo a necessidade de consumidores que buscam cada vez mais por alimentos naturais, saborosos e nutritivos. Vale ressaltar, que a metodologia de preparo pode ser facilmente executada, além de possuir baixo custo, sendo um potencial produto de panificação que atenda consumidores em geral, bem como os que possuam necessidades especiais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:CARLA VIVIANE FREIRE DE CARVALHO, ANA CAROLINA DOS SANTOS COSTA, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, IZAIANY RAFAELY DE ARAÚJO TERTULIANO, JÉSSICA DE MEDEIROS SOUZA, MARIA JULIETE DA SILVA OLIVEIRA, MARIA WEDDJA BARBOSA DE MEDEIROS, PALOMA CRISTINA MILHOMENS FERREIRA MELO, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA
Situação:Depositada – 16/10/2017
Número:BR 10 2017 022161 0
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
40Título:Extrato hidrossolúvel de arroz vermelho, e processo de obtenção
ResumoA presente invenção trata-se do processo de obtenção de um extrato hidrossolúvel a base de arroz vermelho (oryza sativa L.) com aplicação na área de alimentos, apresentando a preparação e métodos para elaboração do extrato e seus derivados, visando o desenvolvimento de produtos alimentícios sem lactose e a base de cereais, a fim de dispor alternativas para pessoas com algum tipo de intolerância.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MÔNICA TEJO CAVALCANTI, JOSÉ ROBSON DE LIMA MELO, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada – 09/10/2017
Número:BR 10 2017 021744 2
E-mail:monicatejoc@yahoo.com.br
39Título:DESENVOLVIMENTO DE IOGURTE CAPRINO COM POTENCIAL PREBIÓTICO SABORIZADO COM GELEIA EXTRA DE PITANGA VERMELHA (Eugenia uniflora L.)
ResumoO iogurte convencional é conhecido por suas propriedades terapêuticas, nutricionais e sensoriais, quando formulados a partir de uma matriz caprina e adicionados de fibra prebiótica (oligofrutose), como proposto nesta formulação, se torna um potencial no mercado dos lácteos, sendo uma alternativa para atender a crescente demanda por novos produtos alimentícios com propriedades funcionais. Importa ressaltar, que além dos benefícios supracitados, a matriz se faz adequada para inclusão de ingredientes como a geleia extra de pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.), sendo este um alimento importante não apenas por suas propriedades nutricionais, mas também, pelas propriedades funcionais conferidas pela presença dos compostos bioativos oriundo da pitanga. Outros atributos importantes e que devem ser levados em consideração, é a não adição de conservantes, saborizantes e corantes, além das vantagens de preparo e baixo custo de produção por não necessitar de equipamentos sofisticados, bem como, a contribuição com o agronegócio local através da utilização de produtos regionais e minimização da insegurança alimentar local.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, ROBERTA CRISTINA DE FRANÇA SILVA, JAIELISON YANDRO PEREIRA DA SILVA, DIEGO ELIAS PEREIRA, RITA DE CÁSSIA ARAÚJO BIDÔ, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES
Situação:Depositada – 06/10/2017
Número:BR 10 2017 021451 6
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
38Título:MANTEIGA CAPRINA ADICIONADA DE CÚRCUMA (Curcuma longa)
ResumoA presente invenção refere-se a “Manteiga caprina adicionada de cúrcuma (Curcuma longa)”. O produto em questão possui alto valor nutricional e outras características sensoriais atribuídas principalmente pela adição da cúrcuma, como melhor aroma, palatabilidade e sabor. Outro aspecto relevante em relação à elaboração do produto é o fortalecimento do aproveitamento tecnológico do leite caprino, tão rico nutricionalmente, porém ainda pouco explorado. Ressalta-se que para a execução da metodologia de preparo é necessário pequeno investimento e utilização de ingredientes acessíveis. Diante de todos os benefícios supracitados, importa ainda ressaltar que a utilização da nata caprina e da cúrcuma contribui de forma significativa tanto para a saúde do consumidor, quanto para expansão do agronegócio, gerando emprego e renda.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MARIA JULIETE DA SILVA OLIVEIRA, ANA CAROLINA DOS SANTOS COSTA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA
Situação:Depositada – 05/10/2017
Número:BR 10 2017 021365 0
E-mail:julieteoliveira2008@hotmail.com
37Título:BLOCO NUTRICIONAL
ResumoA presente invenção refere-se a um bloco nutricional utilizado para melhorar o desenvolvimento nutricional/ponderal de ruminantes e tratamento antihelmíntico, especialmente, para o verme Haemonchus contortus. Através da combinação de Operculina hamiltonii ou Mormodica charantia ou Croton blanchetianus ou Cymbopogon citratus, a invenção melhora a nutrição do animal e tem efeito curativo do verme Haemonchus contortus, ampliando a performance do desenvolvimento ponderal e imunológico do animal. A invenção também pode ser utilizada para o tratamento de outros parasitas e em outros animais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:WILSON WOUFLAN SILVA, LUCIANO JOSÉ BEZERRA DELFINO, ANA CAROLINA LYRA DE ALBUQUERQUE
Situação:Depositada – 27/09/2017
Número:BR 10 2017 020663 7
E-mail:wouflan@hotmail.com
36Título:PROCESSO DE PRODUÇÃO DA PENEIRA MOLECULAR MCM-41 A PARTIR DE FONTES DE SÍLICA RECICLADAS E DE BAIXO CUSTO
ResumoA presente invenção propicia um processo de produção da peneira molecular MCM-41 a partir de argila chocolate, cinzas de cascas de arroz e cinzas de bagaço de cana-de-açúcar. A peneira molecular MCM-41 é um silicato mesoporoso amplamente utilizado em processos de adsorção, craqueamento e refino de petróleo, síntese de biodiesel e síntese de Fischer-Tropsch. É descrita na presente invenção uma metodologia de síntese para a peneira molecular MCM-41 a partir de uma rota que reduz seus custos de produção, em uma estimativa inicial em cerca de 20% a 40%, substituindo as fontes de sílica convencionais por três fontes de sílica alternativas (argila chocolate, cinzas de cascas de arroz e cinzas de bagaço de cana-de-açúcar) que possuem baixo valor econômico e elevado valor ecológico por se tratar da reciclagem de resíduos industriais e agroindustriais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GUSTAVO MEDEIROS DE PAULA, MEIRY GLÁUCIA FREIRE RODRIGUES, LUANA DO NASCIMENTO ROCHA
Situação:Depositada – 26/09/2017
Número:BR 10 2017 020586 0
E-mail:gustavo.paula@eq.ufcg.edu.br
35Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE FROZEN YOGURT FUNCIONAL
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração de “frozen yogurt”, produzido a partir de leite de cabra, exercendo efeito funcional através da adição de culturas lácticas (starter e L. paracasei) e fibra prebiótica (oligofrutose), saborizado com geleia do fruto in natura do maracujá. O frozen yogurt de leite caprino com potencial probiótico, prebiótico e simbiótico apresentam características como alto valor nutritivo, textura uniforme e excelente sabor; além disso, estas características sensoriais são similares aos produtos já comercializados. A não adição de compostos sintéticos como conservantes, aromatizantes e essências é um diferencial na sua formulação, atendendo a necessidade de consumidores que buscam cada vez mais por alimentos naturais. Importa ressaltar, que a metodologia de preparo pode ser facilmente executada, além de possuir baixo custo, sendo um potencial para os pequenos agricultores no que diz respeito à geração de renda, expansão do agronegócio local e minimização da insegurança alimentar. Não há na literatura relatos do uso de L. paracasei em frozen yogurt. No entanto, a utilização deste probiótico foi comprovadamenteo benéfica quando adicionado em iogurtes e outros derivados lácteos, por apresentar características especiais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:SABRINA DUARTE DE OLIVEIRA, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JESSICA LIMA DE MORAIS, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, ALINE RODRIGUES NERIS
Situação:Depositada – 22/09/2017
Número:BR 10 2017 020288 7
E-mail:sabrinaduarte.o.sjrp@gmail.com
34Título:ELABORAÇÃO DE IOGURTE CAPRINO FUNCIONAL ADICIONADO DE GELEIA DE MARACUJÁ (Passiflora edulis Sims.) E DO FRUTO DO MANDACARU (Cereus jamacaru)
ResumoO iogurte caprino funcional adicionado de geleia de maracujá e mandacaru é um derivado lácteo oriundo do leite de cabra da raça Toggenburg. A depender dos constituintes adicionados na preparação o mesmo pode vir a apresentar características probióticas, prebióticas e simbióticas. Na elaboração desse produto é adicionada a cultura starter padrão (Streptococcus salivarius subsp. thermophillus e Lactobacillus delbrueckii subsp. bulgaricus) em associação com o micro-organismo probiótico Lactobacillus subsp. paracasei e a fibra prebiótica oligofrutose, isolados ou associados, além, da adição de geleia de maracujá (Passiflora edulis Sims.) e mandacaru (Cereus jacamaru), frutos ricos em termos nutricionais e funcionais. A respeito da elaboração e processamento da presente invenção destaca-se como pontos positivos o método de preparo que é de fácil execução, aliado ao seu baixo custo, boa aceitação sensorial, permanência da viabilidade do micro-organismo probiótico e vida de prateleira prolongada, após longo período de armazenamento sob refrigeração, sendo uma alternativa em potencial para os pequenos agricultores na geração de renda, expansão do agronegócio e valorização dos ingredientes locais e regionais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, HELOÍSA MARIA ÂNGELO JERÔNIMO, JAIELISON YANDRO PEREIRA DA SILVA, ROSSANA MARIA FEITOSA DE FIGUEIRÊDO, REGILANE MARQUES FEITOSA, JÉSSICA LIMA DE MORAIS, MIKAELLE ALBUQUERQUE DE SOUZA, DIEGO ELIAS PEREIRA, RITA DE CÁSSIA ARAÚJO BIDÔ, ARYANE RIBEIRO DA SILVA
Situação:Depositada – 22/09/2017
Número:BR 10 2017 020281 0
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
33Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE BROWNIE ISENTO DE FARINHA COM JERIMUM (Sergipana)
ResumoA presente invenção refere-se ao “Processo de elaboração de brownie isento de farinha com jerimum (Sergipana)”. O produto em questão possui alto valor nutricional devido a adição do jerimum, alimento rico em fibras e vitaminas como a vitamina A. Outro aspecto relevante é a isenção total de farinha, podendo este brownie ser consumido por portadores da doença celíaca. A metodologia de preparo é simples e de baixo custo, uma vez que são utilizados apenas dois ingredientes, o jerimum e o chocolate, os quais são de fácil acesso. Diante todos os benefícios citados, importa ainda ressaltar que a utilização do fruto, o jerimum, em preparações da doces, como o brownie, possibilita o consumo deste ingrediente de outra forma. Aplicando assim técnicas da confeitaria na elaboração e desenvolvimento de novos produtos mais saudáveis.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CAROLINA DOS SANTOS COSTA, NATHALIA CAVALCANTI DOS SANTOS, ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, CARLA VIVIANE FREIRE DE CARVALHO, PALOMA CRISTINA MILHOMENS FERREIRA MELO, RITA DE CÁSSIA ARAÚJO BIDÔ, DIEGO ELIAS PEREIRA, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES
Situação:Depositada – 21/09/2017
Número:BR 10 2017 020210 0
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
32Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE GELEIA TIPO EXTRA SABOR MARACUJÁ (Passiflora edulis) E MANDACARU (Cereus jacamaru)
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração e ao processamento de uma “geleia tipo extra sabor maracujá (Passiflora edulis) e mandacaru (Cereus jacamaru) ”, produzida a partir dos frutos frescos em estádio de maturação ideal para seu processamento. Possui características sensoriais semelhantes aos produtos disponíveis no comércio, atendendo o preconizado pela legislação vigente na elaboração de geleias. Vale a pena ressaltar que, seu método de preparo é de fácil execução, além de apresentar baixo custo, sendo uma alternativa em potencial para os pequenos agricultores no que dizem respeito às questões econômicas, sociais, culturais e nutricionais, por meio da geração de renda, expansão do agronegócio, valorização dos ingredientes locais e regionais e minimização da insegurança alimentar. A invenção pode ainda ser incorporada no preparo de outros gêneros alimentícios como na saborização de iogurtes e bebida lácteas, preparo de sobremesas, bem como acompanhamento para produtos de panificação, a exemplo de torradas e bolos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CRISTINA SILVEIRA MARTINS, JAIELISON YANDRO PEREIRA DA SILVA, MIKAELLE ALBUQUERQUE DE SOUZA, SABRINA DUARTE DE OLIVEIRA, ALINE RODRIGUES NERIS, JULIANA KÉSSIA BARBOSA SOARES, MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA, JÉSSICA LIMA DE MORAIS
Situação:Depositada – 20/09/2017
Número:BR 10 2017 020087 6
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
31Título:SCAFFOLD PARA LIBERAÇÃO INTRAVAGINAL DE FENTICONAZOL NO TRATAMENTO DA VAGINITE FÚNGICA
ResumoA presente invenção trata da fabricação scaffold para liberação intravaginal de fenticonazol no tratamento de vaginite fúngica, o compósito de scaffold é constituído de quitosana/fenticonazol/gelatina em forma de capsulas obtidos pelo método de liofilização. A vaginite fúngica é um processo infeccioso e/ou inflamatório do trato geniturinário inferior feminino relevante na medicina devido ao acentuado número de atendimentos em consultórios de ginecologia. A sintomatologia das vulvovaginites fúngicas não é patognomônica e a suspeita clínica pode ser confirmada por testes que evidenciam a natureza do agente etiológico, sendo mais frequentes em mulheres entre 18 e 34 anos de idade. Para o diagnóstico correto, mulheres com queixa de sintomatologia vaginal devem ser submetidas à avaliação padrão com medida do pH vaginal, teste de Whiff, microscopia à fresco e com hidróxido de potássio (KOH) a 10%. Para o tratamento da candidíase são usados agentes antifúngicos por via oral e vaginal na forma de cápsula e creme respectivamente. A encapsulação de agentes antifúngicos em sistemas de liberação de fármaco tem sido utilizada com o objetivo de alterar a farmacocinética do agente, possibilitando tratamentos mais eficazes e com menor incidência de efeitos colaterais. A utilização de polímeros biodegradáveis, tais como quitosana e gelatina para obtenção de óvulos (scafollds) intravaginal para liberação de fármaco apresentam grande potencial nos mais diversos tipos de tratamento como a vaginite fúngica.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:VENTURIELSO VENTURA GOMES, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA, ANDRÉ GONÇALVES BEZERRA JUNIOR, DARLYSON TAVARES GUIMARÃES
Situação:Depositada – 15/09/2017
Número:BR 10 2017 019727 1
E-mail:wladymyrjb@yahoo.com.br
30Título:MARCADORES RADIOPACOS DE POLIPROPILENO COM CARBONATO DE CÁLCIO PARA DIAGNÓSTICO DO TEMPO DE TRÂNSITO COLÔNICO
ResumoA presente invenção trata da fabricação de um marcador radiopaco constituído de um compósito formado por polipropileno com carga de carbonato de cálcio para utilização no diagnóstico da constipação intestinal. A constipação é um problema crônico que acomete muitos pacientes no mundo e pode ser definida como qualquer dificuldade em realizar defecação, exigindo esforço maior do que o habitual. Uma das avaliações prévias do tratamento na constipação inclui o estudo do tempo de trânsito colônico que é realizada utilizando os marcadores radiopacos importados de polivinil ou polietileno dopados com sulfato de bário que atribuem radiopacidade ao material. No entanto, esse material apresenta alto custo e a possibilidade da obtenção de radiomarcadores com tecnologia nacional obtidos a partir de materiais com menor custo como o polipropileno e o carbonato de cálcio pode proporcionar a utilização desses radiomarcardores pela população de baixa renda. O polipropileno é um polímero incolor, inodoro, atóxico e considerado um dos mais leves, apresenta uma estrutura apolar, é quimicamente inerte, sendo apenas suscetível a dissolução por solventes apolares. O Carbonato de cálcio é um material inorgânico, abundante na natureza, biocompatível, bioativo, apresenta radiopacidade e baixo custo. Devido a tais características, apresentam potencial para serem utilizado na obtenção de um compósito radiopaco para medida do tempo de trânsito colônico no diagnóstico da constipação intestinal.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MARCELO VICENTE TOLEDO DE ARAÚJO, ROSSEMBERG CARDOSO BARBOSA, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUSA, MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO, THIAGO CAJÚ PEDROSA
Situação:Depositada – 11/09/2017
Número:BR 10 2017 019313 6
E-mail:mvtda@hotmail.com
29Título:ESCOVA DE DENTES PARA CÃES E GATOS
ResumoA presente invenção conjuga as funções de remoção de biofilme através de fricção mecânica e química para a manutenção da saúde bucal de cães e gatos. O dito coletor é constituído por um corpo central (1) e cerdas (2) a fim de melhorar a ergonomia da remoção de biofilme, com ou sem a necessidade de intervenção humana.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA CAROLINA LYRA DE ALBUQUERQUE, LUCIANO JOSÉ BEZERRA DELFINO, WILSON WOUFLAN SILVA
Situação:Depositada – 04/09/2017
Número:BR 10 2017 018892 2
E-mail:lina_lyra@hotmail.com
28Título:PRODUÇÃO DE MISTURA PARA BOLO A PARTIR DA BIOMASSA DE BANANA VERDE
ResumoA presente invenção propicia a obtenção de um pó para bolo ou para diferentes fins alimentícios através de um processo de produção de uma mistura liofilizada preparada a base de biomassa de banana verde com adição de açúcar, amido de milho, fermento químico, aromatizantes e sal. Para obtenção da biomassa os frutos em estádio de maturação verde serão submetidos a cocção por 10 minutos, em seguida processados em liquidificador industrial no qual para cada 1000 g de banana será adicionado 500mL de água. Após atingir a temperatura ambiente, serão adicionados a cada 300 gramas de biomassa: 100 gramas de açúcar, 50 gramas de cacau, 30 gramas de amido de milho seguido de homogeneização em misturador. Em seguida a formulação será congelada em freezer a 18 °C, por 48 horas. Decorrido esse período o material será liofilizado à temperatura de -40 ± 3 ºC por 48 h. Após o processo de liofilização, a mistura em pó será desintegrada em desintegrador, por 03 minutos. Posteriormente, para cada 250 gramas de pó será adicionado 9 gramas de fermento químico em pó e o produto embalado adequadamente. Para o uso desse pó, a reconstituição da mistura deve ser feita em um misturador que pode ser uma batedeira doméstica, onde para cada 260 gramas do pó deve-se adicionar 4 ovos batidos em ponto de neve, 60 gramas de gordura vegetal ou animal e 150mL de leite ou substrato vegetal e homogeneizar por 3-5 minutos. Coloca-se em forma para bolo previamente untada e levase ao forno à 180ºC.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA NERY ALVES MARTINS, ANA PAULA TRINDADE ROCHA, GILMAR TRINDADE DE ARAUJO
Situação:Depositada – 31/08/2017
Número:BR 10 2017 018785 3
E-mail:gilmartrindade@ufcg.edu.br
27Título:BIOSSENSOR ELETROQUÍMICO COM IMOBILIZAÇÃO DA UREASE EM MEMBRANAS POLIMÉRICAS
ResumoA presente invenção trata da fabricação de um biosensor eletroquímico enzimático, constituído de eletrodo em fita de aço inox com eletrodeposição de antimônio, com fase cristalina modificada e imobilização da enzima uréase, em membranas poliméricas de quitosana e acetato de celulose, sobre o eletrodo. Os biossensores são dispositivos analíticos capazes de identificar substâncias específicas, qualitativamente e/ou quantitativamente, utilizados em diversas aplicações, que vêm se aprimorando ao longo dos anos. Esses dispositivos analíticos apresentam um amplo crescimento econômico, com destaque dos dispositivos de diagnósticos, devido suas respostas rápidas e precisas na determinação de doenças, variações de substâncias no corpo humano que venham a ser prejudicial ou não à saúde. A ureia é uma dessas substâncias presentes no corpo humano e o aumento da taxa de ureia no sangue ocorre em casos de insuficiência renal aguda ou crônica, insuficiência cardíaca congestiva, desidratação acentuada, catabolismo proteico aumentado, perda muscular.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RODRIGO JOSÉ DA SILVA LIMA, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, KLAIDSON ANTÔNIO SOUSA FARIAS, JOMAR SALES VASCONCELOS, VINÍCIUS JOSÉ GOMES FORMIGA BARROS
Situação:Depositada – 30/08/2017
Número:BR 10 2017 018590 7
E-mail:marcioufcg@gmail.com
26Título:Resíduo do Caulim: uso como adsorvente para remoção de contaminantes orgânicos e inorgânicos em águas e efluentes
ResumoA presente invenção propicia um processo para remoção de contaminantes orgânicos de águas ou efluentes a partir da adsorção em resíduo do caulim, para remoção dos contaminantes oleosos como gasolina, diesel e querosene, assim como disruptores endócrinos, os esteroides 17 beta-estradiol e 17 alfa-etinilestradiol, e também o corante azul de metileno. Os compostos orgânicos citados estão entre os poluidores mais comuns encontrados em efluentes industriais e em fluentes urbanos e são poluidores geradores de acidentes ambientais e contaminantes de corpos d'água subterrâneos e superficiais, do solo e do ar. O processo da presente invenção constitui-se em um tratamento alternativo de efluentes e economicamente viável para recuperação desse efluente por simples adsorção com um “resíduo” oriunda da indústria de mineração, mitigando e evitando a propagação principalmente de contaminantes como BTEX, HPA e disruptores endócrinos que são agentes causadores de perturbação a saúde humana e animal, além de dar um fim nobre, agregando valor, a um resíduo de mineração que originalmente encontra-se dispensado em aterros contaminando o meio ambiente..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GILMAR TRINDADE DE ARAUJO, ALINE CADIGENA LIMA PATRICIO, ANA PAULA TRINDADE ROCHA, GUILHERME COSTA DE OLIVEIRA, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada – 28/08/2017
Número:BR 10 2017 018375 0
E-mail:gilmartrindade@ufcg.edu.br
25Título:CIRCUITO DE MONITORAMENTO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS ACOPLADO A UMA ESFERA DE SINALIZAÇÃO DE LINHA DE TRANSMISSÃO GEORREFERENCIADA COM CIRCUITO DE COLHEITA DE ENERGIA
ResumoNeste modelo de utilidade são acrescentadas duas funcionalidades às esferas de sinalização usadas em linhas de transmissão. Primeiro, o monitoramento das grandezas elétricas da linha e transmissão dos dados por um circuito de comunicação em radiofrequência (RF) para uma central de monitoramento ou a um drone. Segundo, melhorar a sinalização para aeronaves, tanto visual (por meio de lâmpadas tipo LED), quanto via RF (transmitindo os dados de um chip que contém o georreferenciamento (GRRF) da esfera para as aeronaves próximas). As partes constituintes da patente são: sistema composto de circuito conversor de energia chaveado, circuito de comunicação RFID e RF e chip com dados de georreferenciamento (1), lâmpadas tipo LED (2), bobinas de cobre (3), núcleo de material ferromagnético (4), linha de transmissão na qual o sistema será ligado (5)..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:TAGLEORGE MARQUES SILVEIRA, PRISCILLA KADJA PONTES DE MELO, LUIS ALVES CORREIA FILHO, GLAUCO FONTGALLAND, RAIMUNDO CARLOS SILVÉRIO FREIRE, BENEDITO ANTONIO LUCIANO, RAYMUNDO DE AMORIM JUNIOR, GALBA FALCÃO ARAGÃO
Situação:Depositada – 28/08/2017
Número:BR 10 2017 018440 0
E-mail:tagleorge.silveira@ee.ufcg.edu.br
24Título:PELÍCULA BIODEGRADÁVEL DE AMIDO DE BANANA VERDE COM PROPRIEDADES BIOATIVAS
ResumoA presente invenção trata-se de películas biodegradáveis e bioativas à base de amido de banana verde e óleo essencial, podendo está na forma microencapsulado, com aplicação na área de alimentos perecíveis e embalagens biodegradáveis, visando sua utilização como embalagem comestível e biodegradável contendo conservante natural, por apresentar propriedades antimicrobianas e antioxidantes, aumentando a vida útil de alimentos. Mais especificamente, as películas propostas na presente invenção podem ser utilizadas como revestimentos e filmes bioativos por apresentarem caráter inibitório satisfatório frente a cepas patogênicas e controle da degradação oxidativa em alimentos perecíveis, com uso indicado para indústrias de alimentos, apresentando-se como uma embalagem alternativa ao uso de materiais poliméricos sintéticos, por não deixar resíduos tóxicos nos alimentos e não causar danos ao meio ambiente, além de promover aumento na vida de prateleira ao produto incorporado.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MÔNICA TEJO CAVALCANTI, ANDRÉ LEANDRO DA SILVA, JAYURI SUSY FERNANDES DE ARAÚJO, JOÃO VÍTOR FONSECA FEITOZA, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada-24/08/2017
Número:BR 10 2017 018207 0
E-mail:monicatejoc@yahoo.com.br
23Título:ARGAMASSA COLANTE DE ALTO DESEMPENHO PARA AMBIENTES INTERNOS E EXTERNOS A BASE DE RESÍDUO DE QUARTZITO
ResumoA presente invenção trata-se do desenvolvimento de uma argamassa colante a base de resíduo de resíduo de quartzito pulverizado, cimento, aditivos celulósicos comerciais, aditivos poliméricos de acetato de vinila comerciais e água, por substituição total da areia natural pelo resíduo de quartzito, que provê fixação de cerâmicas e tijolos no revestimento de pisos e paredes em internos e externos, tais como pisos, fachadas e paredes com insolação direta e incidência de ventos, saunas úmidas, piscinas de água quente e outros ambientes com exposição intensa a intempéries. A invenção se refere à preparação de argamassa através da mistura de resíduo de quartzito pulverizado, principal rejeito do beneficiamento do quartzito, com a substituição total da areia natural, adicionado ao cimento.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOÃO BOSCO MARINHO DA COSTO, FELIPE SOUZA LIMA, FRANCISCO JOSIMAR DE QUEIROZ, VICTOR MANUEL CUNHA ALVES, JOSÉ JAILSON NICÁCIO ALVES
Situação:Depositada – 24/08/2017
Número:BR 10 201 018101 4
E-mail:felipe.lima@eq.ufcg.edu.br
22Título:Título: ARGAMASSA COLANTE PARA AMBIENTES INTERNOS E EXTERNOS A BASE DE RESÍDUO DE QUARTZITO
ResumoA presente invenção trata-se do desenvolvimento de uma argamassa colante a base de resíduo de resíduo de quartzito pulverizado, cimento, aditivos celulósicos comerciais, aditivos poliméricos de acetato de vinila comerciais e água, por substituição total da areia natural pelo resíduo de quartzito, que provê fixação de cerâmicas e tijolos no revestimento de pisos e paredes em externos sujeitos a ciclos de variação termoigrométrica e ação do ventos tais como: pisos e fachadas de áreas externas, assentamento de revestimento de piscinas de água fria e outros ambientes com exposição moderada a intempéries. A invenção se refere à preparação de argamassa através da mistura de resíduo de quartzito pulverizado, principal rejeito do beneficiamento do quartzito, com a substituição total da areia natural, adicionado ao cimento.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOÃO BOSCO MARINHO DA COSTO, FELIPE SOUZA LIMA, FRANCISCO JOSIMAR DE QUEIROZ, VICTOR MANUEL CUNHA ALVES, JOSÉ JAILSON NICÁCIO ALVES
Situação:Depositada – 24/08/2017
Número:BR 10 2017 018100 6
E-mail:felipe.lima@eq.ufcg.edu.br
21Título:Título: ARGAMASSA COLANTE PARA AMBIENTES INTERNOS A BASE DE RESÍDUO DE QUARTZITO
ResumoA presente invenção trata-se do desenvolvimento de uma nova argamassa colante a base de resíduo de resíduo de quartzito pulverizado, cimento, aditivos celulósicos comerciais, aditivos poliméricos de acetato de vinila comerciais e água, por substituição total da areia natural pelo resíduo de quartzito, que provê fixação de cerâmicas e tijolos no revestimento de pisos e paredes em ambientes internos com exceção daqueles aplicados em saunas, churrasqueiras, estufas e outros ambientes que requeiram revestimentos especiais. A invenção se refere à preparação de argamassa através da mistura de resíduo de quartzito pulverizado, principal rejeito do beneficiamento do quartzito, com a substituição total da areia natural, adicionado ao cimento.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOÃO BOSCO MARINHO DA COSTO, FELIPE SOUZA LIMA, FRANCISCO JOSIMAR DE QUEIROZ, VICTOR MANUEL CUNHA ALVES, JOSÉ JAILSON NICÁCIO ALVES
Situação:Depositada – 24/08/2017
Número:BR 10 2017 18099 9
E-mail:felipe.lima@eq.ufcg.edu.br
20Título:ELABORAÇÃO DE GELEIA EXTRA DE PITANGA VERMELHA (Eugenia uniflora L.)
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração de “geleia extra de pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.)”, produzida a partir de frutos frescos de pitanga vermelha em estágio adequado de maturação para o processamento deste produto. O produto em questão apresenta sabor e odor característicos, além de possui características nutricionais e organolépticas similares aos produtos já comercializados, como por exemplo, sabor e textura. Esta invenção destaca-se pela não utilização de produtos industrializados, corantes, conservantes, aromatizantes e aditivos químicos, além de possuir baixo custo e seu processamento ser facilmente executado. A invenção ainda pode ser incorporada em diferentes tipos de preparações na área de tecnologia de alimentos, com destaque para, processo de conservação e garantia da segurança alimentar..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:Ana Cristina Silveira Martins, Roberta Cristina de França Silva, , Jaielison Yandro Pereira da Silva, Diego Elias Pereira, Rita de Cássia Araújo Bidô, Aryane Heloísa Maria Ângelo Jerônimo, maria Eliedy Gomes de Oliveira, Juliana Késsia Barsosa Soares
Situação:Depositada – 23/08/2017
Número:BR 10 2017 018001 8
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
19Título:Sistema para identificação de trajetória realizada pela primeira vez, no contexto de previsão
Resumo A presente invenção é um processo com aplicação no contexto de previsão de trajetórias. Este processo é útil para identificar se uma trajetória em curso está sendo realizada pela primeira vez ou se esta pode ser caracterizada como uma trajetória já realizada. Uma vez identificada se uma trajetória está sendo feita pela primeira, um preditor de trajetórias pode evitar uma previsão, ou utilizar informações adicionais para sugerir um destino. Este processo deve ser integrado a algum preditor que utilize uma métrica numérica para associar similaridade de um trajeto em curso com trajetos previamente realizados (históricos), na etapa de previsão. O processo consiste em três componentes principais: o componente de Obter rota reduzida (1a), para manter apenas um percentual X da rota parcial original; o componente de Identificar trajetória nova, responsável por identificar se a trajetória em curso é nova(1b); e o componente de Informar ao usuário se rota nova (1c) (FIGURA 1), que apresenta adequadamente a informação quando a rota for nova, dependendo do dispositivo que está sendo utilizado.
TitularidadeInstituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Da Paraíba , Universidade Federal da Campina Grande
Inventores:FRANCISCO DANTAS NOBRE NETO, CLÁUDIO DE SOUZA BAPTISTA, CLAUDIO ELIZIO CALAZANS CAMPELO
Situação:Depositada – 10/08/2017
Número:BR 10 2017 017132 9
E-mail:baptista@dsc.ufcg.edu.br
18Título:MÉTODO DE OBTENÇÃO DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA POR ELETRODEPOSIÇÃO
ResumoA presente invenção trata de um método de obtenção de nanopartículas de prata utilizando a técnica de eletrodeposição, sem a necessidade de reagentes oxidantes, estabilizantes ou redutores, apenas um agente precursor. As nanopartículas de metais sintetizadas por via aquosa são as mais estudadas, destacando-se as nanopartículas de prata (AgNPs), devido suas propriedades físico-químicas muito características, incluindo a sua flexibilidade, maleabilidade e uma condutividade térmica e elétrica elevada em relação a qualquer outro metal, além de sua ação antimicrobiana. Diferentes métodos têm sido utilizados para a síntese e estabilização de nanopartículas de prata, tais como físicos, químicos, eletroquímicos, fotoquímicos, radiação gama e ablação a laser, no entanto, o uso da técnica de eletrodeposição para síntese de nanopartículas de forma simples e sem uso de muitos reagentes é um importante avanço na tecnologia de nano.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MÁRCIO JOSÉ BATISTA CARDOSO, JOSÉ FILIPE BACALHAU RODRIGUES, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, DANYELLE GUEDES GARCIA, KLAIDSON ANTÔNIO SOUSA, MARIA ROBERTA DE OLIVEIRA PINTO
Situação:Depositada – 09/08/2017
Número:BR 10 2017 017045 4
E-mail:marcioufcg@gmail.com
17Título:PROCESSO DE PRODUÇÃO DAS PENEIRAS MOLECULARES MCM-41 E SBA-15 A PARTIR DE PÓ DE VIDRO RECICLADO
ResumoA presente invenção propicia um processo de produção de sílica reativa e um processo de produção das peneiras moleculares MCM41 e SBA-15 a partir de pó de vidro. As peneiras moleculares MCM41 e SBA-15 são silicatos mesoporosos amplamente utilizados em processos de adsorção, craqueamento e refino de petróleo, síntese de biodiesel e síntese de Fischer-Tropsch. A presente invenção descreve metodologias de sínteses para as peneiras moleculares MCM-41 e SBA-15 a partir de uma rota que reduz seus custos de produção, em uma estimativa inicial em cerca de 20% a 40%, substituindo as fontes de sílica convencionais por resíduo vítreo (pó de vidro) que possui baixo valor econômico e elevado valor ecológico por se tratar da reciclagem de um resíduo industrial.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GUSTAVO MEDEIROS DE PAULA, MEIRY GLÁUCIA FREIRE RODRIGUES, LUANA DO NASCIMENTO ROCHA, WANESSA KARLA GOMES SEVERO
Situação:Depositada – 02/08/2017
Número:BR 10 2017 016595 7
E-mail:gustavo.paula@eq.ufcg.edu.br
16Título:ELABORAÇÃO E PROCESSAMENTO DE GELEIA DE CAQUI (Diospyros kaki)
ResumoA presente invenção refere-se à elaboração de “geleia de caqui (Diospyros Kaki)”, produzida a partir da fruta fresca em estádio de maturação ideal para o processamento deste produto. Possui características sensoriais similares aos produtos já comercializados, como por exemplo, sabor e textura. A não adição de compostos sintéticos como conservantes, aromatizantes e essências é um diferencial na sua formulação, atendendo a necessidade de consumidores que buscam cada vez mais por alimentos naturais. Importa ressaltar, que a metodologia de preparo pode ser facilmente executada, além de possuir baixo custo, sendo um potencial para os pequenos agricultores no que diz respeito à geração de renda, expansão do agronegócio local e minimização da insegurança alimentar. A invenção pode ainda ser incorporada no preparo de outros produtos como saborização de iogurtes e bebidas lácteas, preparo de sobremesas, bem como acompanhamento para pães, bolos, queijos e similares.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:Ana Cristina Silveira Martins, Diego Elias Pereira, Rita de Cássia Araújo Bidô, Aryane Ribeiro da Silva, Jaielison Yandro Pereira da Silva, Ricácio de Sousa Silva, Maria Elieidy Gomes de Oliveira, Juliana Késsia Barsosa Soares
Situação:Depositada – 28/07/2017
Número:BR 10 2017 016207 9
E-mail:nutricionistaanamartins@hotmail.com
15Título:Título: PROCESSO DE SECAGEM POR ATOMIZAÇÃO UTILIZANDO A PREPARAÇÃO CONTÍNUA DE SOLUÇÕES COM COMPOSTOS COM BAIXA SOLUBILIDADE E / OU BAIXA ESTABILIDADE
ResumoA PRESENTE INVENÇÃO visa solucionar o seguinte problema: Na preparação de substâncias de fármacos amorfos, um insumo farmacêutico ativo é dissolvido em um ou mais solventes juntamente com um ou mais excipientes farmaceuticos e depois é seco por secagem por atomização. Muitos desses ingredientes farmacêuticos ativos têm baixa solubilidade em solventes aquosos ou não aquosos, ou baixa cinética de dissolução que requer muitas horas para dissolução total usando métodos descontínuos. Além disso, muitos ingredientes farmacêuticos ativos possuem baixa estabilidade enquanto se solubilizam em um determinado solvente, tornando o modo de preparação descontínuo um método inadequado, devido aos grandes tempos de permanência da solução os quais que levam à formação de impurezas. Assim a presente invenção visa a solução do problema através de: um método contínuo para a dissolução rápida, usando uma bomba de alta pressão combinada com pelo menos um micro-reator e um microcanal para aumentar a mistura por cisalhamento, diminuir o tamanho de partícula e aumentar espontaneamente a temperatura combinada com uma técnica contínua de secagem por atomização para a produção de substâncias sólidas de drogas amorfas.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:HUGO MIGUEL LISBOA OLIVEIRA, MATHEUS AUGUSTO DE BITTENCOURT PASQUALI,
Situação:Depositada – 26/07/2017
Número:BR 10 2017 015979 5
E-mail:hugom.lisboa80@gmail.com
14Título:PRODUÇÃO DE ARCABOUÇO DE FOSFATO DE CÁLCIO PARA REGENERAÇÃO OSSEA
ResumoCompreende a obtenção de um biomaterial mais concretamente de arcabouço para regeneração óssea através de uma metodologia na qual um material poroso absorve uma solução sol-gel para formação de fosfato de cálcio na sua superfície seguida de queima e densificação da estrutura formada. A presente invenção visa solucionar questões de recobrimento deficiente e número de etapas excessiva na produção de arcabouços de fosfato de cálcio sem perda de propriedades essências como porosidade e módulos de compressão..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:HUGO MIGUEL LISBOA OLIVEIRA, WILLAMS TELES BARBOSA,
Situação:Depositada – 21/07/2017
Número:BR 10 2017 015650 8
E-mail:hugom.lisboa80@gmail.com
13Título:PROCESSO PARA DIFERENCIAÇÃO DA MASSA MOLAR DAS MACROMOLÉCULAS DE QUITINA E QUITOSANA DURANTE A SUA EXTRAÇÃO
ResumoCompreende uma alteração da metodologia aplicada em uma das etapas de extração da quitina da casca de camarão, a desmineralização, com três finalidades: (1) remover a parte mineral presente, (2) fraccionar a macromolécula de quitina e (3) descolorá-la por cloração e redução do nível de endotoxinas. Após esta etapa, bastará uma etapa de desproteinização e uma etapa de desacetilação para a obtenção de quitosana. Com as alterações introduzidas na etapa de desmineralização é possível obter diferentes quitosanas com massas molares entre 80000050000, e graus de desacetilação próximos de 80%. Com a utilização da reação de desmineralização como método de fracionamento da massa molar da quitina e, consequentemente, daquitosana, bem como de branqueamento e purificação de endotoxinas, evita-se a utilização de outro métodos ou reagentes que tornam o processo dispendioso e ambientalmente desfavorável.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:HUGO MIGUEL LISBOA OLIVEIRA, ANNA SYLVIA RAMOS DE RANGEL MOREIRA CAVALCANTI
Situação:Depositada – 20/07/2017
Número:BR 10 2017 015551 0
E-mail:hugom.lisboa80@gmail.com
12Título:PROCESSO DE PRODUÇÃO DA PENEIRA MOLECULAR SBA-15 A PARTIR DA RECICLAGEM DE MATÉRIAS-PRIMAS DE BAIXO CUSTO
ResumoA presente invenção propicia um processo de produção de sílica e produção da peneira molecular SBA-15, um silicato mesoporoso amplamente utilizado em processos de craqueamento e refino de petróleo, síntese de biodiesel e síntese de combustíveis líquidos a partir da síntese de Fischer-Tropsch. É descrita na presente invenção uma metodologia de síntese para a SBA-15 a partir de uma rota que reduz seu custo de produção, substituindo as fontes de sílica convencionais por três fontes de sílicas alternativas (argila chocolate, cinzas de cascas de arroz e cinzas de bagaço de canade-açúcar) que possuem baixo valor econômico e elevado valor ecológico por se tratar da reciclagem de resíduos industriais e agroindustriais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GUSTAVO MEDEIROS DE PAULA, MEIRY GLÁUCIA FREIRE RODRIGUES
Situação:Depositada – 26/06/2017
Número:BR 10 2016 013824 0
E-mail:gustavo.paula@eq.ufcg.edu.br
11Título:Título: ANTENA DE MICROFITA COM SRR QUADRADO NO PLANO DE TERRA
ResumoA presente invenção, que consiste na utilização de uma metassuperficie para modificar os parâmetros de radiação das antenas de microfita, incorpora as características de baixo custo, facilidade de construção, transmite grandes pacotes de informação e funciona em múltiplas bandas. Surgiu à ideia de desenvolver uma antena de microfita com metassuperfície aplicado ao plano de terra. As células que são a modificação proposta por esse trabalho são aplicadas no plano de terra, em arranjos com nove e dezesseis elementos, as células foram aplicadas em um substrato dielétrico (1), com células de geometria retangular (1A), contendo nove (2) e dezesseis células (3) e apresentando um fio fino bidimensional (2A).
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOSÉ DE ARIMATEIA PINTO MAGNO, HUMBERTO DIONÍSIO DE ANDRADE, IDALMIR DE SOUZA QUEIROZ JÚNIOR, FLÁVIA ELIONARA FREIRE DANTAS, SAMANTA MESQUITA DE HOLANDA, JUAN RAFAEL FILGUEIRA GUERRA, ANDRÉCIA PEREIRA DA COSTA, GALBA FALCÃO ARAGÃO, PRISCILLA KADJA PONTES DE MELO,
Situação:Depositada – 19/05/2017
Número:BR 10 2017 010511 3
E-mail:jose.magno@ee.ufcg.edu.br
10Título:Título: ANTENA DE MICROFITA COM SRR CIRCULAR NO PLANO DE TERRA
ResumoA presente invenção apresenta uma metassuperficie para modificar os parâmetros de radiação das antenas de microfita, incorporando as características de baixo custo, facilidade de construção, transmite grandes pacotes de informação e funcionamento multibanda. Surgiu à ideia de desenvolver uma antena de microfita com metassuperfície aplicado ao plano de terra. As células que são a modificação proposta por esse trabalho são aplicadas no plano de terra, em arranjos com nove e dezesseis elementos, as células foram aplicadas em um substrato dielétrico (1), com células de geometria circular (1A), contendo nove (2) e dezesseis células (3) e apresentando um fio fino bidimensional (2A)..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:HUMBERTO DIONÍSIO DE ANDRADE, FLÁVIA ELIONARA FREIRE DANTAS, SAMANTA MESQUITA DE HOLANDA, JUAN RAFAEL FILGUEIRA GUERRA, ANDRÉCIA PEREIRA DA COSTA, GLAUCO FONTTGALLAND, GALBA FALCÃO ARAGÃO, PRISCILLA KADJA PONTES DE MELO, JOSÉ DE ARIMATEIA PINTO MAGNO, IDALMIR DE SOUZA QUEIROZ JÚNIOR
Situação:Depositada – 18/05/2017
Número:BR 10 2017 010412 5
E-mail:jose.magno@ee.ufcg.edu.br
9Título:Título: INSTRUMENTAÇÃO AUTOMATIZADA PARA MEDIÇÃO DE DESLOCAMENTOS VERTICAIS EM OBRAS GEOTÉCNICAS COM SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE DADOS
ResumoA presente invenção trata de uma instrumentação automatizada de baixo custo para monitorar deslocamentos verticais (recalques) em obras de engenharia civil, com aplicação na área da geotecnia, visando realizar as medidas dos deslocamentos superficiais e em profundidade em tempos préestabelecidos, garantindo dados consistentes e transmitindo-os a distância e sem fio. As medidas dos deslocamentos são realizadas em tempos préestabelecidos. A invenção poderá ser acoplada a um dos métodos de monitoramento dos deslocamentos verticais mais utilizados para medição de recalques, que é composta por placas magnéticas distribuídas ao longo da profundidade do maciço geotécnico através de um tubo guia. O invento é composto por sistema principal e secundário, motor de passo acoplado à carretilha, identificador de campo magnético e fontes de alimentação. O invento será dotado de um sistema de medição composto por: sistema principal (7) (7.a), sistema secundário (7) (7.a), identificador de campo magnético (4) e motor de passo (9) acoplado à carretilha (8). O sistema secundário é o alarme responsável em acionar e hibernar o sistema principal, que tem como funções: controlar, tratar os dados e enviálos após recebê-los do identificador de campo magnético. As medidas dos deslocamentos verticais são determinadas da seguinte forma: a parte superior da instrumentação possui uma chave fim de curso (11), que será tomada como o marco inicial da leitura. Ao iniciar a liberação da linha de alta resistência (3) através da carretilha (8), é contabilizada a quantidade de passos do motor de passo (9) até o momento que é detectado o campo magnético e, cada detecção é enviada para um endereçamento, possibilitando assim identificar cada placa magnética (5) e monitorar o quanto essa placa deslocou ao longo do tempo..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RAQUEL FREITAS REIS, VERUSCHKA ESCARIÃO DESSOLES MONTEIRO, WILLIAM DE PAIVA, MÁRCIO CAMARGO DE MELO, VANDERSON DE LIMA REIS, BRENO MOURA DE ARAÚJO NÓBREGA, CLÁUDIO LUIS DE ARAÚJO NETO
Situação:Depositada – 15/05/2017
Número:BR 10 2017 010150 9
E-mail:claudioluisneto@gmail.com
8Título:ESFERA DE SINALIZAÇÃO DE LINHA DE TRANSMISSÃO ILUMINADA COM CIRCUITO DE COLHEITA DE ENERGIA
ResumoO presente modelo de utilidade incorpora um circuito de colheita de energia a uma esfera de sinalização utilizada para reduzir o risco de colisões aéreas em linhas de transmissão. O circuito é constituído de um conjunto de 4 bobinas espaçadas igualmente dentro da esfera, interligadas a um circuito conversor chaveado de energia elétrica, que alimentará as lâmpadas LED, permitindo com isso que a esfera de sinalização também possa ser utilizada nos períodos noturnos e em condições adversas de tempo (pouca visibilidade).
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:TAGLEORGE MARQUES SILVEIRA, PRISCILLA KADJA PONTES DE MELO, LUIS ALVES CORREIA FILHO, GLAUCO FONTGALLAND, RAIMUNDO CARLOS SILVÉRIO FREIRE
Situação:Depositada – 12/04/2017
Número:BR 10 2017 007597 0
E-mail:tagleorge.silveira@ee.ufcg.edu.br
7Título:MEL DE ABELHAS NATIVAS BRASILEIRAS MICROENCAPSULADO E PROCESSO DE OBTENÇÃO
ResumoA presente invenção trata de um sistema microencapsulado contendo mel de abelhas nativas brasileiras (Meliponas) de diversas espécies com aplicação na área de alimentos e farmacêutica, visando proteger o mel de agentes ambientais (luz, umidade, oxigênio), aumentando estabilidade, vida de prateleira, mantendo a integridade de componentes importantes do mel como proteínas, sais minerais, vitaminas e fitoquímicos ativos, além de facilitar o manuseio e aplicação. Mais especificamente, o sistema microencapsulado contendo mel de abelhas nativas do presente invento pode ser utilizado como matéria-prima na área farmacêutica e alimentícia, além de assegurar qualidade para o principal produto da meliponicultura.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MÔNICA TEJO CAVALCANTI, ANDRÉ LEANDRO DA SILVA, JOSÉ NILTON SILVA, MARTA SUELY MADRUGA, JOSÉ ROBSON DE LIMA NETO
Situação:Depositada – 05/04/2017
Número:BR 10 2017 007043 3
E-mail:monicatejoc@yahoo.com.br
6Título:Extrato em pó de amendoim despeliculizado
ResumoO Extrato em pó de amendoim despeliculizado é uma invenção que apresenta o processo de produção de extrato em pó de amendoim preparado a base de amendoim despeliculizado e água mineral, visando ampliar o seu aproveitamento nutricional e tecnológico.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO ALMEIDA, JAIME JOSÉ DA SILVEIRA BARROS NETO
Situação:Depositada – 03/04/2017
Número:BR 10 2017 006787 4
E-mail:dluziamarcia@yahoo.com
5Título:Título: Sistema e processo de recuperação energética para o desenvolvimento energético do óleo de carvão (COED)
ResumoRefere o presente invento propiciar um sistema e processo de recuperação energética para o desenvolvimento energético do óleo de carvão (COED), a adição de um conjunto compressor/turbina na seção de separação do processo e modificação das condições de operação do processo. Um sistema e processo possibilita a recuperação da energia do sistema de até 60 %, com reutilização dessa energia no processo, melhorando a eficiente do processo. Dessa forma, juntamente com os ajustes operacionais de temperatura e pressão permite uma melhor eficiência do processo, a invenção contribuir para melhoria global de obtenção de combustíveis líquidos compostos por uma mistura de diversos hidrocarbonetos por meio da rota de pirólise do carvão em reatores de leito fluidizado.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ESLEY SILVA CAVALCANTE, GLADSON EULER LIMA JÚNIOR, STEFANO CIANNELLA, GILVAN WANDERLEY DE FARIAS NETO, VICTOR MANUEL CUNHA ALVES, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada – 03/04/2017
Número:BR 10 2017 006817 0
E-mail:esley.cavalcante@eq.ufcg.edu.br
4Título:Bloco Nutricional
ResumoA presente invenção refere-se a um bloco nutricional utilizado para melhorar o desenvolvimento nutricional/ponderal de ruminantes e tratamento anti-helmíntico, especialmente, para o verme Haemonchus contortus. Através da combinação de Operculina hamiltonii ou Mormodica charantia ou Croton blanchetianus ou Cymbopogon citratus, a invenção melhora a nutrição do animal e tem efeito curativo do verme Haemonchus contortus, ampliando a performance do desenvolvimento ponderal e imunológico do animal. A invenção também pode ser utilizada para o tratamento de outros parasitas e em outros animais..
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:WILSON WOUFLAN SILVA, LUCIANO JOSÉ BEZERRA DELFINO, ANA CAROLINA LYRA DE ALBUQUERQUE
Situação:Depositada – 10/03/2017
Número:BR 10 2017 004805 5
E-mail:wouflan@hotmail.com
3Título:Título: SISTEMA MICROENCAPSULADO CONTENDO OLEO ESSENCIAL DE CITRUS E PROCESSO DE OBTENÇÃO
ResumoA presente invenção propicia um sistema de microencapsulação de óleo essencial de Citrus voltada principalmente para aplicações nas áreas de alimentos e farmacêutica, em que o principal intuito é proteger o óleo essencial de agentes ambientais (luz, umidade, oxigênio), melhorando a estabilidade, aumentando vida de prateleira e facilitando o manuseio e aplicação. Os sistemas microencapsulados são obtidos empregando a liofilização como técnica de secagem e utilizando maltrodextrina e gelatina como materiais poliméricos encapsulantes. Mais especificamente, o sistema microencapsulado contendo óleo essencial de Citrus do presente invento pode ser utilizado como matéria-prima na área farmacêutica, em materiais de limpeza e na indústria de alimento.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MÔNICA TEJO CAVALCANTI, ANDRÉ LEANDRO DA SILVA, JOSÉ NILTON SILVA, SILMARA TAVARES BANDEIRA, WANDERSON DA SILVA MARTINS, JAYURI SUSY FERNANDES DE ARAÚJO
Situação:Depositada– 09/03/2017
Número:BR 10 2017 004722 9
E-mail:monicatejoc@yahoo.com.br
2Título:Título: AMIDO NATIVO DO ENDOCARPO DA PITOMBA
ResumoAMIDO NATIVO DO ENDOCARPO DA PITOMBA” é uma invenção que apresenta o processo de extração do amido nativo do endocarpo da pitomba, visando aproveitamento tecnológico e industrial da espécie.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:DEISE SOUZA DE CASTRO, WILTON PEREIRA DA SILVA, INÁCIA DOS SANTOS MOREIRA, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, JACINETE PEREIRA LIMA, JOSIVANDA PALMEIRA GOMES
Situação:Depositada – 21/02/2017
Número:BR 10 2017 003427 5
E-mail:deise_castro01@hotmail.com
1Título:Título: SISTEMA DE MEDIÇÃO DE DESLOCAMENTOS DE ATERROS SANITÁRIOS COM VEÍCULO AÉREO NÃO TRIPULADO
ResumoA presente invenção consiste em um sistema de monitoramento de deslocamentos verticais e horizontais aplicado a aterros sanitários. O monitoramento dos deslocamentos superficiais ocorrerá através da utilização de um VANT associado ao sistema de medição, constituído pelo Encaixe Pendular de Deformações (EPD) e receptores superficiais. O EPD (1) sobrevoará sobre células do aterro sanitário guiado pelo VANT (2) onde estarão conectados pelo cabo (3). O VANT (2) possibilitará a visualização das células e dos receptores. Ao localizar o receptor, o operador do VANT (2) realizará o encaixe do EPD (1) no interior do receptor (7), sendo o marco identificado pelo cartão de identificação (9) que coordena a realização das medidas inerciais. Este procedimento será repetido, até o EPD (1) se encaixar em todos os receptores superficiais. O primeiro pouso do EPD (1) será no marco localizado na parte externa a célula do aterro, possibilitando a identificação de um referencial para todas as leituras seguintes. Todas as informações serão armazenadas no cartão de memória contido no EPD (1). O sistema pode ser utilizado em qualquer maciço, seja de solo ou sanitário, e permitirá uma otimização do processo de monitoramento em termos de tempo, custo e operacionalidade.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:CLÁUDIO LUIS DE ARAÚJO NETO, BRENO MOURA DE ARAÚJO NÓBREGA, DANIELA LIMA MACHADO DA SILVA, JEOVANA JISLA DAS NEVES SANTOS, RAUL BATISTA ARAUJO DE SOUSA, RAQUEL FREITAS REIS, ELBA MAGDA DE SOUZA VIEIRA, VERUSCHKA ESCARIÃO DESSOLES MONTEIRO, MÁRCIO CAMARGO DE MELO, WILLIAM DE PAIVA
Situação:Depositada – 21/02/2017
Número:BR 10 2016 003411 9
E-mail:claudioluisneto@gmail.com
Depósitos em 2016
ParâmetrosInformações
18Título:LIOFILIZAÇÃO DE UMBU PARA PREPARAÇÃO DE SUCO E USO COMO
INGREDIENTE NA FORMULAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTICÍOS
ResumoÉ uma invenção que apresenta o processo de produção de umbu em pó, sendo preparado a partir da polpa de umbu, em estádio maturação “maduro”, adicionada de maltodextrina e submetida à secagem a frio para obtenção do pó, visando ampliar o consumo, a sua oferta ao longo do ano, bem como o seu aproveitamento nutricional e tecnológico, tornando mais prático o seu preparo.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANTONIO JACKSON RIBEIRO BARROSO, FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO ALMEIDA, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA
Situação:Depositada – 25/11/2016
Número:BR 10 2016 027711 6
17Título:LIOFILIZAÇÃO DE MANGABA PARA PREPARAÇÃO DE SUCO E USO COMO INGREDIENTE NA FORMULAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTICÍOS
ResumoÉ uma invenção que apresenta o processo de produção de mangaba em pó, sendo preparado a partir da polpa de mangaba, em estádio de maturação “maduro”, adicionada de maltodextrina e submetida à secagem a frio para obtenção do pó, visando ampliar o consumo, a sua oferta ao longo do ano, bem como o seu aproveitamento nutricional e tecnológico, tornando mais prático o seu preparo.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANTONIO JACKSON RIBEIRO BARROSO, FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO ALMEIDA, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA
Situação:Depositada – 25/11/2016
Número:BR 10 2016 027709 4
16Título:POLPA DE UMBU-CAJÁ EM PÓ COM 10% DE MALTODEXTRINA
ResumoÉ urna invenção que apresenta a produção de umbu-cajá em pó, a partir da polpa de umbu-cajá, adicionada de maltodextrina e submetida ao processo de secagem por liofilização para obtenção do pó, visando ampliar o consumo, a sua oferta ao longo do ano, bem como o seu aproveitamento nutricional e tecnológico.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:FRANCINALVA CORDEIRO DE SOUSA, ANA PAULA TRINDADE ROCHA, LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, INÁCIA DOS SANTOS MOREIRA, DEISE SOUUZA DE CASTRO, JOSIVANDA PALMEIRA GOMES
Situação:Depositada – 25/11/2016
Número:BR 10 2016 027710 8
15Título:Sistema de medição de deslocamento de aterros sanitários com veículo aéreo não tripulado
ResumoA presente invenção consiste em um sistema de monitoramento de deslocamentos verticais e horizontais aplicado a aterros sanitários. O monitoramento dos deslocamentos superficiais ocorrerá através da utilização de um VANT associado ao sistema de medição, constituído pelo Encaixe Pendular de Deformações (EPD) e receptores superficiais. O EPD sobrevoará sobre células do aterro
sanitário guiado pelo VANT onde estarão conectados pelo cabo. O
VANT possibilitará a visualização das células e dos receptores. Ao
localizar o receptor, o operador do VANT realizará o encaixe do EPD
no interior do receptor, sendo o marco identificado pelo cartão de
identificação que coordena a realização das medidas inerciais. Este
procedimento será repetido, até o EPD se encaixar em todos os
receptores superficiais. O primeiro pouso do EPD será no marco
localizado na parte externa a célula do aterro, possibilitando a
identificação de um referencial para todas as leituras seguintes.
Todas as informações serão armazenadas no cartão de memória
contido no EPD. O sistema pode ser utilizado em qualquer maciço,
seja de solo ou sanitário, e permitirá uma otimização do processo de
monitoramento em termos de tempo, custo e operacionalidade.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:CLÁUDIO LUIS DE ARAÚJO NETO, BRENO MOURA DE ARAÚJO NÓBREGA, DANIELA LIMA MACHADO DA SILVA, JEOVANA JISLA DAS NEVES SANTOS, RAUL BATISTA ARAUJO DE SOUSA, RAQUEL FREITAS REIS, ELBA MAGDA DE SOUZA VIEIRA, VERUSCHKA ESCARIÃO DESSOLES MONTEIRO, MÁRCIO CAMARGO DE MELO, WILLIAM DE PAIVA
Situação:Depositada – 16/11/2016
Número:BR 10 2016 026825 7
14Título:SISTEMA PARA MONTAGEM E OPERAÇÃO DE INFRAESTRUTURAS COMPUTACIONAIS DE ALTA VAZÃO PARA A EXECUÇÃO DE PROGRAMAS UTIIJZANDO DISPOSITIVOS ORGANIZADOS EM REDES DE COMUNICAÇÃO UM-PARA-MUITOS
ResumoPatente de invenção que cobre um processo e a urna arquitetura que viabiliza a montagem e operação de infraestruturas computacionais dinâmicas de alta vazão de uso geral (corno, por exemplo, o processamento de aplicações paralelizáveis) em qualquer contexto que reúna dispositivos computacionais com capacidade ociosa (por exemplo, servidores, computadores pessoais, tablets, telefones celulares, receptores de TV Digital etc) e que suportem comunicação na modalidade de um-para-muitos com um nó central (por exemplo, redes de broadcast). A rede de comunicação de um-para-muitos funcionará, então, como urna grade computacional montada e operada sob demanda, podendo ser utilizada para solução de problemas no domínio de aplicações de e-ciência ou de outro domínio qualquer. A arquitetura e processo juntos descrevem quem são os componentes envolvidos e corno estão dispostos, a forma de instanciação e operação padrão e também os mecanismos de coordenação necessários, com a possibilidade de aplicação de diferentes métodos compensatórios dependendo do nível de volatilidade dos recursos e demais características possíveis em se tratando de redes de comunicação de um-para-muitos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ROSTAND EDSON OLIVEIRA COSTA, FRANCISCO VILAR BRASILEIRO, GUIDO LEMOS DE SOUZA FILHO, DÊNIO MARIZ TIMÓTEO DE SOUSA
Situação:Depositada – 01/11/2016
Número:BR 10 2016 025625 9
13Título:Produção de fruta pão em pó desidratada por atomização (spray drying) para ser utilizada como adjuvante de secagem de polpas e suspensões.
ResumoA invenção refere-se ao processo de produção de fruta pão em pó desidratada por atomização (spray drying) para ser utilizada como adjuvante de secagem de polpas e suspensões. A matéria-prima utilizada foi fruta pão (Artocarpus altilis) da variedade Apyrene adquiridos de plantio no brejo paraibano, no município de Remígio — PB, e colhidos em estádio de maturação fisiológica semi maduro. Para a obtenção da polpa de fruta pão os frutos foram selecionados, lavados, sanitizados em solução de hipoclorito de sódio a 250 mg/L, durante 5 minutos e enxaguados em água corrente, em seguida foram descascados, cortados e desintegrados em multiprocessador com adição de água potável na proporção 1:1 (p/p), obtendo-se uma suspensão. A polpa de fruta pão foi desidratada em secador por atomização com uma vazão de suspensão da polpa de 6 mL/min e temperaturas do ar de secagem de 90 °C.. Após a secagem foi obtido no secador à fruta pão em pó coletado no ciclone para a utilização na indústria alimentícia atuando como um adjuvante na secagem de polpas e suspensões.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GILMARA GURJÃO CARNEIRO, OSVALDO SOARES DA SILVA
Situação:Depositada – 07/10/2016
Número:BR 10 2016 024156 1
12Título:REVESTIMENTO POLIMÉRICO APLICADO NO ISOLAMENTO ELÉTRICO
ResumoA presente invenção trata de um revestimento polimérico cor aplicação na área de isolamento elétrico de alta tensão em que se utiliza cera de carnaúba como carga de preenchimento, visando proporcionar melhor desempenho em condições de intempéries e maior resistência à degradação. O revestimento polimérico (2) é aplicado na parte externa de invólucros isolantes (1) de equipamentos elétricos utilizados em alta tensão, a fim de tornar a superfície hidrofóbica e proporcionar melhor desempenho ao isolamento quando submetido a condições adversas.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RAPHAEL BORGES DA NÓBREGA, EDSON GUEDES COSTA, ANDRE DANTAS GERMANO, ANA CRISTINA FIGUEIREDO DE MELO COSTA, DANIELLA CIBELE BEZERRA
Situação:Depositada – 07/10/2016
Número:BR 10 2016 023461 1
11Título:KIT DIDÁTICO DE UM PROCESSO INDUSTRIAL
ResumoRefere-se o presente modelo de utilidade a um kit educacional de engenharia, mais especificamente na área processos industriais, destinado à montagem de componentes e módulos portáteis que representam operações unitárias típicas do processo de resfriamento resultando, após a montagem, em uma mmi planta a qual será controlada pelo usuário através de um computador que mostrará no monitor uma tela de sistema supervisório que representa a mmi planta em operação, o computador em comunicação com um microprocessador que é responsável pela leitura dos sinais de sensores de nível, temperatura, fluxo e umidade, além da atuação nos motores bombas através do ajuste de potência, ativação/desativação de ventoinhas ou do sistema de aquecimento, podendo ser utilizado em demonstrações no laboratório, em apresentações científicas ou em desafios de engenharia já que é possível, com o presente kit, explorar procedimentos matemáticos de operações unitárias clássicas como potência dos motores bombas e das ventoinhas, cálculo do balanço de massa e energia, melhorias de malhas de controle e programação para comunicação entre um computador e um equipamento, servindo assim de complemento para experiência de controle de uma planta real, integrando conhecimentos e estimulando o interesse em superar desafios.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:SIDINEI KLEBER DA SILVA, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada – 07/10/2016
Número:BR 20 2016 023470 6
10Título:ENSAIO DE CORROSÃO ACELERADA EM CONCRETO ARMADO PELA DIFUSÃO DE 1ONS CLORETOS INDUZIDA POR CAMPO MAGNÉTICO
ResumoA presente invenção é um ensaio de corrosão acelerado que induz a entrada dos íons cloretos no concreto armado impulsionado por um campo magnético externo, desencadeando a despassivação da armadura com rapidez, menor custo operacional e quantifica teores críticos de cloretos menores em relação aos ensaios clássicos de corrosão com aplicação de campo elétrico. O ensaio de corrosão acelerado por indução de íons cloretos em concreto armado com aplicação de campo magnético é constituído por um um par de imãs de neodímio com força de campo de 300T posicionados externamente ao corpo de prova, eletrodo de referência de Ag/AgCI e solução de cloreto de sódio na concentração de IM.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:EUDÉSIO OLIVEIRA VILAR, GIBSON ROCHA MEIRA, KÁTIA DIAS NERI
Situação:Depositada – 24/08/2016
Número:BR 10 2016 020757 6
9Título:ARGAMASSA COLANTE À BASE DE RESÍDUO DE CAULIM
ResumoA presente invenção trata-se de um desenvolvimento de uma nova argamassa colante à base de resíduo de caulím, cimento, areia e água, por substituição parcial da areia natural pelo resíduo de caulim, que provê fixação de cerâmicas e tijolos no revestimento de pisos e paredes em edificações. A invenção se refere à preparação através da mistura de cimento, areia, aditivo a base de celulose e de agregados miúdos de resíduo de caulim, principal rejeito do beneficiamento do caulim, como substituto parcial da areia natural. Mais especificamente, argamassa colante caracterizada pelo fato de ter, em massa, 1 parte de cimento, 0,01 parte de aditivo a base de celulose e 4,55 partes de agregado miúdo composto por resíduo de caulím num intervalo de 0,01 a 1,14 partes, em substituição proporcional a areia até o limite mínimo de 3,41 partes dessa areia. Em caso de argamassa colante em pasta a relação materiais secos/água é de 1/0,21 a 0,26. A invenção tem potencial aplicabilidade na construção civil como argamassa colante para fixação de materiais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:GILMAR TRINDADE DE ARAÚJO, GUILHERME COSTA DE OLIVEIRA, ALINE CADIGENA LIMA PATRICIO, ROMILDO PEREIRA BRITO, JOSÉ NILTON SILVA
Situação:Depositada – 24/08/2016
Número:BR 10 2016 020743 6
8Título:SISTEMA E PROCESSO PARA CONVERSÃO DE BIOGÁS EM BIOMETANO
ResumoA presente invenção trata-se de um sistema e processo para conversão de biogás em biometano que provê a concentração de biometano (CH4) de acordo com a classificação para uso como combustível renovável veicular e para cogeração de energia, e o dióxido de carbono (CO2) para aplicação na indústria de gaseificação de bebidas. Além da obtenção de um outro produto, o dióxido de carbono concentrado, outra vantagem da presente invenção diz respeito a modificação do uso da corrente de gás do vaso flash, permitindo uma redução no dimensionamento necessário para a coluna de separação dos componentes do biogás e diminuição da quantidade de energia necessária em torno de 40 % comparada as tecnologias do estado da técnica.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOSÉ NILTON SILVA, SIDINEI KLEBER DA SILVA
Situação:Depositada – 18/08/2016
Número:BR 10 2016 020730 4
7Título:PROCESSO PARA PRODUÇÃO DE ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO
VIA CO-CULTIVO DE FUNGOS
ResumoA presente invenção determina o processo pelo qual o trabalho conjunto de dois fungos resulta na produção de etanol, a parir de massa lignocelulósica.
A matéria lignocelulósica passa por trituração (1) seguido de pré- tratamento térmico (2), a biomassa pré-tratada é então colocada em um biorreator (3), que opera, neste momento em modo aerado. O inóculo do fungo produtor de enzimas é propagado separadamente (4) e adicionado no biorreator (3), por um tempo de cultivo aeróbico. A levedura é propagada separadamente (5) e adicionada ao biorreator (3) no nono dia, a partir do qual o processo passa a ser anaeróbico. Após o co-cultivo o processo fermentativo é encerrado e o caldo hídroalcoólico é então filtrado (6), seguindo para destilação em colunas (7).
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JEAN CÉSAR FARIAS DE QUEIROZ, JOSÉ RENATO GUIMARÃES
Situação:Depositada – 26/07/2016
Número:BR 10 2016 018111 9
6Título:MIX DE EXTRATO PÓ DE AMENDOIM E UMBU
ResumoÉ uma invenção que apresenta o processo de produção de um mix em pó de amendoim com umbu, sendo preparado à base de amendoim sem pele e água mineral e polpa de umbu adicionada de maltodextrina, visando ampliar o aproveitamento nutricional e tecnológico dessas espécies vegetais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANTONIO JACKSON RIBEIRO BARROSO, FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO ALMEIDA
Situação:Depositada – 26/07/2016
Número:BR 10 2016 018110 0
5Título:MIX DE EXTRATO PÓ DE AMENDOIM E MANGABA
ResumoÉ uma invenção que apresenta o processo de produção de um mix em pó de amendoim com mangaba, sendo preparado à base de amendoim sem pele e água mineral e polpa de mangaba adicionada de maltodextrina visando ampliar o aproveitamento nutricional e tecnológico dessas espécies vegetais.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANTONIO JACKSON RIBEIRO BARROSO, FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO ALMEIDA
Situação:Depositada – 26/07/2016
Número:BR 10 2016 018194 1
4Título:SANITIZANTE NATURAL PARA FRUTAS E VEGETAIS
ResumoA presente invenção trata-se de um sanitizante natural hidro substrato a base de óleo essencial de Cymbopogon citratus que provê a redução da carga mícrobiana em frutas e hortaliças através da etapa de sanitização. Mais especificamente, apresenta-se como um sanitiza nte natural hidrossolúvel, com baixa geração de resíduos prejudiciais à saúde do consumidor e com efetiva atividade antimicrobiana frente a cepas patogênicas e deteriorantes de potencial importância em alimentos, com resultados satisfatórios quando comparados à sanitizantes químicos comerciais a base de cloro, sem necessário enxague e ainda sem prejudicar a sensorialiedade do alimento. O sanitizante natural hidrossolúvel pode ser empregado nas indústrias alimentícias como também no processamento a nível doméstico.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:MÔNICA TEJO CAVALCANTI, JOSÉ NILTON SILVA, AMANDA BEATRIZ SALES DE LIMA, INÊS MARIA BARBOSA NUNES QUEIROGA
Situação:Depositada – 14/06/2016
Número:BR 10 2016 014590 2
3Título:SISTEMA E PROCESSO PARA PURIFICAÇÃO E PRESSURIZAÇÃO DE BIOGÁS
ResumoÉ descrito um sistema e processo para purificação e compressão de biogás que provê a remoção de gás sulfídrico e pressurização do biogás utilizando como fonte promotora do sistema de compressão a energia solar para distribuição com descarga adequada a utilização do biogás por sistemas e equipamentos de cogeração térmica e/ou elétrica.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:JOSÉ NILTON SILVA, MÔNICA TEJO CAVALCANTI, ROSSINO RAMOS ALMEIDA
Situação:Depositada – 14/06/2016
Número:BR 10 2016 014589 9
2Título:MÉTODO DE FUSÃO E TRATAMENTO TÉRMICO PARA FABRICAÇÃO DE PASTILHAS DE REVESTIMENTO A PARTIR DA RECICLAGEM DE VIDRO, PODENDO SER APLICÁVEL A OUTROS ARTIGOS VÍTREOS
ResumoO controle da temperatura e tempo na fusão e nos tratamentos térmicos para obtenção de pastilhas de vidro ou vitrocerâmica, com efeitos visuais de texturas distintas, dependendo dos parâmetros utilizados. A granulometria dos vidros influencia no tratamento térmico e na textura das peças, bem como a temperatura estabelecida também influencia no seu aspecto brilhoso ou opaco. Além do processo de tratamento térmico, a presente invenção diz respeito à obtenção de pastilhas de vidro reciclado com programações distintas para vidros coloridos e incolores, resultando em peças com transparência, textura enrugada e aspecto brilhoso, a partir da fusão e do tratamento térmico, no mesmo processo de fabricação. A presente invenção provê a fabricação de pastilhas coloridas (cada pastilha com resíduos de uma mesma cor), resultando em peças nas cores âmbar, verde e azul (cores comumente encontradas nas garrafas de envaze pós-consumo) a partir de uma programação (a) , detalhada na Figura 1 e a fabricação de pastilhas incolores, a partir de uma programação (b), detalhada na Figura 2, ambas com temperatura de trabalho a 780°C e granulometrias 4,00 mm e 2,36 mm, após passar por peneira granulométrica ASTM de números 5 e 8, respectivamente. A mistura entre as duas granulometrias é importante para impedir a formação de vazios na peça, o que poderia diminuir sua resistência mecânica. As pastilhas de revestimento, após retiradas
do forno, são submetidas a testes de resistência à dureza e ao impacto, uma vez que precisam ser empilhadas e acondicionadas em caixas para transporte. Quando comparados à pastilha com as mesmas condições de fabricação (quantidade de resíduos vítreos, granulometrias e
temperaturas utilizadas), porém sem o mesmo tratamento térmico, os testes comprovam a eficácia do recozimento, que aumentam sua resistência mecânica, tornando o processo
adequado para aplicação em pastilhas vítreas, com fins de revestimento em paredes, podendo também ser aplicável a outros artigos vítreos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ISIS TATIANE DE BARROS MACÊDO VELOSO, CRISLENE RODRIGUES DA SILVA MORAIS
Situação:Depositada – 09/06/2016
Número:BR 10 2016 014579 1
1Título:PRODUÇÃO DE QUITINA E QUITOSANA A PARTIR DE EXOESQUELETO DE CAMARAO
ResumoA presente invenção refere-se a um processo de produção de quitina e quitosana com grau de pureza farmacêutica, para aplicações farmacêuticas e biomédicas. A partir do beneficiamento da casca de camarão do gênero Lítopenaeus, para posterior tratamento químico são retirados das cascas, a fase mineral, a fase proteica, os pigmentos, extraindo assim, quitina, e posterior, desacetilação da mesma, para finalmente se obter a quítosana. O método de desmineralização foi eficiente, observada pelo teor de cinzas abaixo de 0,063%. O grau de desacetilação está acima de 90%.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RAYANE SANTA CRUZ MARTINS DE QUEIROZ ANTONIO, RODRIGO JOSÉ DA SILVA LIMA, MARCUS VINICIUS LIA FOOK, HUGO MIGUEL LISBOA OLIVEIRA, JOMAR SALES VASCONCELOS
Situação:Depositada – 12/02/2016
Número:BR 10 2016 004572 0
Depósitos em 2015
ParâmetrosInformações
5Título:COMPÓSITO POLIÉSTER INSATURADO / FIBRA VEGETAIS DE CAROÁ
ResumoA presente invenção refere-se a materiais compósitos: fibras de caroá utilizadas como reforço do polímero oriundo de fonte natural. A percentagem em peso da fibra (cerca de 23%) de caroá são intercaladas com poliéster insaturado em um molde de ferro e, durante duas horas, prensadas a temperatura de fusão do polímero e inferior a temperatura de degradação das fibras. O compósito caroá/poliéster apresenta alta resistência a tração, flexão e impacto e possui aplicação industrial que empregam a madeira, principalmente no setor de móveis para ambientes internos e externos, já que de acordo com estudo de envelhecimento térmico o compósitos apresentaram considerável resistência mecânica.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANA FLÁVIA CAMARA BEZERRA, LAURA HECKER DE CARVALHO
Situação:Depositada – 26/11/2015
Número:BR 10 2015 030812 4
4Título:MASSA CERÂMICA DESENVOLVIDA COM RESÍDUO VÍTREO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES
ResumoA presente invenção, que com incorporação de resíduo vítreo de lâmpadas fluorescentes, atuando como fundente, no desenvovimento de massa cerâmica para grés
sanitário em substituição parcial do feldspato, proporciona, assim, melhoras nas propriedades físico-mecânicas do produto, possibilitando a redução do custo energético de produção e a diminuição de exploração da matéria-prima não renovável, além de colaborar para um desenvolvimento sustentável na diminuição dos descartes dos resíduos vítreos.
O dito invento é constituído de matérias-primas tradicionais como: argila ballclay, caulim, quartzo, feldspato e resíduo vítreo de lâmpadas fluorescentes nas proporções de 5%, 10%, 15% ou 20% em substituição do feldspato, obtido à temperatura de queima de 1200°C.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ANGELA MARIA BARBOSA DE ARAÚJO, CRISLENE RODRIGUES DA SILVA MORAIS, VALDENIA PORTO MEDEIROS, MARIA DO SOCORRO LOPES CAVALCANTI
Situação:Depositada – 26/11/2015
Número:BR 10 2015 030810 8
3Título:PRODUÇÃO DE EXTRATO EM PÓ DE AMENDOIM DESPELICULIZADO
ResumoA presente invenção apresenta o processo de produção de extrato em pó de amendoim preparado a base de amendoim despeliculizado e água mineral, visando ampliar o seu aproveitamento nutricional e tecnológico.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:LUZIA MARCIA DE MELO SILVA, FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO ALMEIDA, JAIME JOSÉ DA SILVEIRA BARROS NETO
Situação:Depositada – 29/10/2015
Número:BR 10 2015 028673 2
2Título:PROCESSO PARA OBTENÇÃO DA POLPA DE PEQUI (CaryocarcoriaceumWittm.) EM PÓ POR MEIO DE SECAGEM CONVECTIVA
ResumoA presente invenção tratada obtenção da polpa de pequi(Caryocarcoriacelt,flwjftrn) em pó por meio da secagem convectiva. A matéria- prima utilizada foi pequis. procedentes da Chapada do Araripe localizada no sul do Estado do Ceará. Para obtenção da polpa de pequi inicialmente os frutos foram selecionados no estádio de maturação maduros, lavados em água corrente, higienizados em solução de hipoclorito de sódio (100 ppm) e enxaguados em água corrente. Os pequisforam cortados para separação do mesocarpo externo do mesocarpo interno (polpa amarela), sendo o mesocarpo interno lavado com água potável. Para facilitar a extração da polpa foi feito cozimento do mesocarpo interno em água potável na temperatura de 100 °C por 30 minutos; em seguida os mesocarpos internos cozidos foram resfriados e despolpados por meio de um descascador semi-industrial de aço inox. A seguir a polpa de pequi foi secada para obtenção do pó sem adição de aditivos, em estufa com circulação forçada de ar com velocidade do ar de 1,0 m/s2na temperatura de 70 °C e com uma camada da polpa de 0,5 cm de espessura, durante 14 horas; após a secagem triturou-se a massa seca em processador por um minuto para obtenção do pó de pequi.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ELISABETE PIANCÓ DE SOUSA
Situação:Depositada – 29/10/2015
Número:BR 10 2015 028671 6
1Título:PROCESSO DE PRODUÇÃO DE BIOGÁS A PARTIR DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICO S EM B 1 ORREATORE S ANAERÓBIOS DE ESCALA REDUZIDA
ResumoA presente patente de invenção refere-se ao uso de um lodo padrão rico em matéria orgânica obtido a partir de resíduos sólidos orgânicos e um processo de produção de biogás empregando biorreatores, tanques estoques e tanques reservatórios. A invenção funciona corno alternativa adequada na destinação dos resíduos sólidos orgânicos gerados nos centros urbanos e rurais, e o reaproveitamento do biogás como matéria prima para o processo de purificação para uso corno fonte de energia renovável.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:RÔMULO DE MEDEIROS CARIBÉ, VERUSCHKA ESCARIÃO DESSOLES MONTEIRO, MÁRCIO CAMARGO MELO, LIBÂNIA DA SILVA RIBEIRO, RAQUEL FREITAS REIS, BRENO MOURA DE ARAÚJO NÓBREGA, NATALYA AMÉLIA BONFIM, STELLA BEATRICE SOARES DE ALMEIDA
Situação:Depositada – 16/07/2015
Número:BR 10 2015 017924 3
Depósitos em 2013
ParâmetrosInformações
1Título:SISTEMA PARA MONTAGEM E OPERAÇÃO DE INSTRUTURAS COMPUTACIONAIS DE ALTA VAZÃO PARA A EXECUÇÃO DE PROGRAMAS UTILIZANDO DISPOSITIVOS ORGANIZADOS EM REDES DE COMUNICAÇÃO UM-PARA-MUITOS
ResumoPatente de invenção que cobre um processo e a uma arquitetura que viabiliza a montagem e operação de infraestruturas computacionais dinâmicas de alta vazão de uso geral (como, por exemplo, o processamento de aplicações paralelizáveis) em qualquer contexto que reúna dispositivos computacionais com capacidade ociosa (por exemplo, servidores, computadores pessoais, tabiets, telefones celulares, receptores de TV Digital etc) e que suportem comunicação na modalidade de um-para-muitos com um nó central (por exemplo, redes de broadcast). A rede de comunicação de um-para-muitos funcionará, então, corno uma grade computacional montada e operada sob demanda, podendo ser utilizada para solução de problemas no domínio de aplicações de e-ciência ou de outro domínio qualquer. A arquitetura e processo juntos descrevem quem são os componentes envolvidos e corno estão dispostos, a forma de instanciação e operação padrão e também os mecanismos de coordenação necessários, com a possibilidade de aplicação de diferentes métodos compensatórios dependendo do nível de volatilidade dos recursos e demais características possíveis em se tratando de redes de comunicação de um-para-muitos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:ROSTAND EDSON OLIVEIRA COSTA, FRANCISCO VILAR BRASILEIRO, GUIDO LEMOS DE SOUZA FILHO, DÊNIO MARIZ TIMÓTIO DE SOUSA
Situação:Depositada – 04/10/2013
Número:BR 10 2013 027255 8
Depósitos em 2011
ParâmetrosInformações
1Título:MÉTODO E DISPOSITIVO IMUNOLÓGICO PARA O DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS INFECCIOSAS E DETECÇÃO DE BIO-MARCADORES EM FLUIDOS CORPORAIS
ResumoNa presente invenção é desenvolvida uma ferramenta de diagnóstico, de fácil manipulação, para indicação, com ou sem marcadores, da presença de um complexo AB-AG, insensível às ligações não específicas, e onde a mudança de espessura do filme é medida e gravada. São utilizados transdutores fisicos adequados, que respondem à mudança de massa na superficie, tais corno: sensores de ressonância de plasmons de superficie (SPR), mudança da capacitância elétrica, impedância ou condutância-cc, micro—balança de cristais de quartzo (QCM) e técnicas de sensoriamento de ondas acústicas de superficie.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande, Instituto Nacional de Tecnologia - INT/NE-CETENE
Inventores:FERNANDA CECÍLIA CORREIA LIMA LOUREIRO, FRANZ HELMUT NEFF, ELMAR UWE KURT MELCHER
Situação:Depositada – 30/03/2011
Número:PI 1100855-5
Depósitos em 2009
ParâmetrosInformações
1Título:PROCESSO DE OBTENÇÃO DE ARGILAS ORGANOFÍLICAS ASSIM OBTIDAS E USO DAS MESMAS EM NANOCOMPÓSITOS
ResumoÉ descrito um processo de obtenção de argilas organofílicas por intercalação, o processo compreendendo intercalar bentonita com sal quaternário de amônio, filtrar o produto intercalado bentonita/sal quaternário de amônio, secar e triturar o produto; co-intercalar o produto em pó com uma amina de cadeia longa em proporções de razão de massa desde 1:1 até 1:4 bentonita/sal quaternário de amônio para amina de cadeia longa, obtendo um produto intercalado de cadeia longa; secar e recuperar o produto bentonita/sal quaternário de amônio/amina com espaçamentos basais aperfeiçoados em relação àqueles obtidos por processos do estado da técnica. Em uma modalidade alternativa, a argila é intercalada com amina primária de cadeia longa e um ácido carboxílico de cadeia longa. Em uma outra modalidade alternativa a argila já intercalada com sal quaternário de amônio é intercalada com amina primária de cadeia longa e um ácido carboxílico de cadeia longa. As argilas obtidas também são descritas, bem com o uso das mesmas em nanocompósitos.
TitularidadeUniversidade Federal da Campina Grande
Inventores:EDCLEIDE MARIA ARAÚJO, DAYANNE DINIZ DE SOUZA, RENATA BARBOSA
Situação:Depositada – 15/07/2009
Número:PI 0902566-9 A2
DEPÓSITOS
Acompanhamento:
Depósitos de PI´s acumulado: